COSSA E O RECORDE COM BARBA RIJA

Quando vamos a um jogo de futebol demandamos, preferencialmente, por um espectáculo deslumbrante. Se esse espectáculo for condimentado com golos, as suas expressões máximas, melhor ainda. E se esses golos contribuírem para a vitória da equipa que apoiamos então teremos a cereja no topo do bolo. Mas, numa exigência mais profunda, se esses golos forem de todos os gostos e feitios o transe toma conta de nós e saímos extasiados.
A combinação desse cocktail de ingredientes não é comum. Não acontece todos os dias. É rara, sobretudo no nosso futebol, cada vez mais parco em avançados com apurado faro de golo, pior numa altura em que são influenciados pela tendência do futebol mundial, que não restringe a missão de marcar golos apenas aos avançados.
Se calhar seja por isso que já não se marcam golos como antigamente, tanto ao nível de qualidade como no que respeito diz à quantidade de golos marcados. O nosso campeonato é prova disso. Não nos deixa mentir. Basta dizer que os nossos melhores marcadores dificilmente ultrapassam a fasquia de uma dúzia de golos num campeonato, o que é triste. Muito triste. E preocupante, também.Leia mais...
ReginaldoCumbana
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Opinão

Publicidade