Os encorajadores sinais dos Mambinhas Sub-17

A Selecção Nacional de futebol da categoria de Sub-17 deixou uma imagem encorajadora quanto ao futuro do nosso futebol, no geral e aos Mambas, em particular, ao arrancar uma performance brilhante na edição-2019 do Torneio da COSAFA da categoria que ontem chegou ao fim no Malawi.

TRAIÇÃO OU GOLPE DE MESTRE?

Aligação de Abel Xavier com a Federação Moçambicana de Futebol (FMF), apesar do fim anunciado, ainda cria debates diversos. Há ainda pessoas contrariadas com o fim deste “romance”, alegadamente porque, vendo o lado positivo de Abel nos Mambas, sobretudo dos assessórios concedidos a uma organização que se referiu inexistente até à sua chegada. Esses mesmos, que em algum momento o contestaram pelos maus resultados e também pelo fracasso em todas as competições, vêm a terreiro dizer bem alto que o problema dos Mambas não pode ser imputado ao ex-internacional português, baseando-se, sobretudo, no nível estrutural do futebol nacional. Referem que mesmo com Pep Guardiola, Juerg Klopp ou José Mourinho os Mambas não chegariam longe. Muito blá, blá, blá vindo de todos os quadrantes, onde qualquer um emite a sua opinião, inventando cada um a história que convém. Depois da eliminação diante de Madagáscar há quem diga que alguns jogadores dos Mambas venderam o jogo da segunda “mão”. Valha-me Deus!

Silêncio ensurdecedor dos líderes alvi-negros

Um adepto confesso diz sempre de boca cheia que “o Desportivo não se discute, ama-se”. Esse adepto ferrenho e defensor da causa do Desportivo em qualquer circunstância não creio que neste momento mantenha a fé no sucesso da águia.

AS VONTADES QUE O TEMPO MUDOU

“Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades, Muda-se o ser, muda-se a confiança; Todo o mundo é composto de mudança, tomando sempre novas qualidades. Continuamente vemos novidades, Diferentes em tudo da esperança; Do mal ficam as mágoas na lembrança, E do bem (se algum houve), as saudades”.... (Luís Vaz de Camões, poeta português)

Os recados de Mabjaia denunciam nossas fraquezas

O áudio de Mabjaia pode justificar por que razão o nosso desporto regride ante à evo-lução de países que até um dia não tinham expressão. Pode também justificar a razão pela qual Carlos Tomo teve apenas um voto e Clarisse Machanguana não teve nenhum nas eleições que no último sábado elegeram Roque Sebastião a pre-sidente da Federação Moçambicana de Basquetebol (FMB).

A HÓSTIA QUE MABJAIA NÃO SERVIU AOS ACÓLITOS

Na última semana o desporto nacional, em particular o basquetebol, passou por momentos conturbados. Não era para menos! É que dias depois de Milagre Macome e César Mujui terem iniciado o trabalho de preparação rumo à primeira edição do AfroCan – uma nova competição instituída pela FIBA-Africa destinada aos atletas que militam nos campeonatos locais – a Federação Moçambicana de Basquetebol (FMB) informou à equipa técnica e aos atletas da Selecção Nacional sénior masculina que não participariam da prova que por estas alturas se disputa na capital maliana, Bamako.

A “Raça Alvi-Negra” ganhou de goleada

“O Moçambola-2019 teve um clássico no passado sábado, no embate entre os históricos Ferroviário e Desportivo, ambos da cidade de Maputo, em jogo da 20ª jornada.

Mambas, Abel Xavier e Madagáscar…

A 12 dias do jogo entre as selecções nacionais de futebol de Moçambique e Madagáscar, no arranque das eliminatórias do CAN Interno agendado para próximo ano na Etiópia, persistem algumas interrogações em volta desta nova campanha, que se deseja satisfatória e venha sarar as feridas abertas por mais um falhanço da fase final do CAN, no caso em disputa no Egipto e que pela primeira vez reuniu 24 selecções nacionais.

SERÁ A BÊNÇÃO QUE FALTAVA AO ENZ?

O Estádio Nacional do Zimpeto (ENZ), o único, infelizmente, no país que reúne as ríspidas exigências da FIFA, tem sido nos últimos anos a casa das selecções nacionais, sobretudo da equipa A. Ora, esse papel pertenceu durante os tempos idos – esperamos que as direcções locomotivas da capital repensem numa nova fórmula de trazer aos padrões exigidos pelo organismo de tutela do futebol mundial – ao mítico Estádio da Machava, palco dos momentos inolvidáveis, saudosistas e memoráveis cultura e desportivamente.

Pág. 1 de 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Opinão

Publicidade