Com Samaris a ocupar a vaga deixada em aberto por Gabriel, os homens de Bruno Lage entraram no jogo a todo o gás, procurando abrir as vias mais rápidas para a baliza de Ricardo Ribeiro. O Paços até entrou em campo de forma organizada, coesa e solidária, fechando-se bem a defender e desdobrando-se com relativa facilidade até à área do Benfica, mas foi apenas uma questão de tempo.
Raul de Tomás e Seferovic esticavam o jogo para a frente, alargavam-no para as alas e o Paços não resistiu a tantas movimentações e acabou mesmo por romper. Grimaldo, na sequência de um pontapé de canto curto, deu o primeiro sinal, com um remate que passou a rasar a barra. Mas foi Nuno Tavares que de forma surpreendente derrubou a barreira amarela e levantou o estádio. O lateral recebeu uma bola com espaço sobre a direita, fora da área e rematou em arco, levando a bola a entrar junto ao segundo poste.Leia mais...

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Opinão

Publicidade