I INTERNACIONAL

COMO ERA DE ESPERAR, ALIÁS!

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Como era expectável, o Sporting derrotou um V. Setúbal altamente limitado por força de um vírus que deixou mais de meia equipa de fora e que fez com que os sadinos só levassem 16 jogadores para a ficha de jogo.

 O que não era expectável e atendendo até ao discurso negativista de Julio Velázquez na antevisão do jogo, é que a equipa de Alvalade precisou de sofrer tanto para regressar à Lisboa com os três pontos.

Após uma semana recheada de episódios tristes, o jogo foi competitivo nos primeiros 20 minutos. A partir daí o Sporting começou a deixar vincada a superioridade perante um conjunto que parecia começar a mostrar debilidades físicas. Linhas muito juntas, chegada tardia a lances e referências de marcação perdidas.

Foi com naturalidade, por isso, que os leões inauguraram o marcador ainda antes da meia hora de jogo, num autogolo de João Meira quando tentava interceptar um cruzamento de Ristovski. Aos 34 minutos, Bruno Fernandes ampliou para 2-0, na conversão de um penálti a castigar falta de Pirri na área sadina sobre o capitão do Sporting.

Confortável, a equipa de Silas baixou o ritmo. Ainda assim, nada que a pusesse em perigo, até porque, mesmo assim, dispôs de uma grande oportunidade para ampliar o marcador no regresso aos balneários.

Por essa altura, o Vitória parecia mais compenetrado em cair de pé e evitar que o Sporting arrancasse para uma goleada.

Só que aos 63 minutos o pontapé certeiro de Carlinhos parecia ter um qualquer princípio activo capaz de curar a mais resistente das maleitas.

A partir daí os homens de Velázquez ganharam forças extras e os fantasmas recentes da equipa de Silas voltaram atormentá-la.

Enquanto procurou o golo de tranquilidade, o Sporting tremeu em proporções idênticas.

Coates viu um amarelo desnecessário que o deixa fora do dérbi com o Benfica na próxima sexta-feira e os setubalenses ainda podem queixar-se de falta de sorte, quando um cabeceamento embateu no ferro e na recarga Guedes cabeceou por cima, com Max ainda a tentar recompor-se.

Publicidade
SN-GRÁFICA

Moçambola 2019

Pos Equipe J V E D GC GM Pts DP
1. C. do Sol 30 20 6 4 25 56 64 +31
2. UD Songo 30 19 3 8 29 47 59 +18
3. Fer. Maputo 30 13 9 8 22 34 43 +12
4. Fer. Beira 30 12 9 9 25 34 43 +9
5. Fer. Nacala 30 12 5 13 31 28 40 -3
6. ENH 30 10 11 9 30 29 37 -1
7. LD Maputo 30 11 7 12 36 30 37 -6
8. Textafrica 30 11 7 12 30 22 37 -8
9. Des. Maputo 30 10 10 10 29 35 36 +6
10. Incomáti 30 10 10 10 31 29 36 -2
LD Maputo 5 : 4 Des. Maputo
Têx. Púnguè 1 : 1 Nacala
B. de Pemba 1 : 2 ENH
Chibuto 1 : 0 UD Songo
Fer. Nacala 1 : 0 Fer. Beira
Fer. Nampula 2 : 1 C. do Sol
Maxaquene 1 : 0 Fer. Maputo
Textafrica 1 : 1 Incomáti

Director: Almiro Santos
Chefes da Redacção:
Reginaldo Cumbana e Gil Carvalho

Desafio é um Jornal desportivo, produto da Sociedade do Notícias.

O Jornal esta disponível em formato físico impresso, o mesmo pode ser lido em formato electrónico.

Play Store

AppStore

SNLogo2

Propriedade da Sociedade do
Notícias, SARL
Direcção, Redacção e Oficinas
Rua Joe Slovo, 55 • Cx.Postal 327
E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
( Tel's: 21320119 / 21320120 )
Script:
Topo
Baixo