A justiça que não existe no futebol

O futebol continua a não ser uma ciência exacta, tal como o camaronês Samuel Eto’o fez referência aquando da sua visita ao nosso país num passado muito recente. Mas é justamente por isso que a imprevisibilidade continua sendo o maior atractivo do desporto- -rei, no caso particular. Coisas de futebol!

Sidique lidera votação mensal

Os Sidique é, por estas altura, o jogador mais votado do mês de Agosto, no âmbito do “Prémio Desafio Melhor Jogador do Moçambola-2019”, cuja votação encerra esta sexta-feira à noite (23.59 horas).

O SOL BRILHOU EM PEMBA

O Costa do Sol foi a Pemba vencer o Baía por 2-3, um resultado arrancado a ferros, num terreno reconhecidamente difícil. Os canarinhos chegaram a estar em vantagem de 0-2, mas antes do apito para o intervalo a equipa da casa chegou ao empate, que só foi desfeito na etapa complementar. Com este resultado o Costa do Sol consolidou a liderança do Moçambola.

HIDROELÉCTRICOSCHEIOS DE CRENÇA PARA O CONFRONTO DE DAR-ES-SALAAM

A União Desportiva do Songo defronta o Simba da Tanzania no próximo domingo, 25 de Agosto, em jogo da segunda “mão” da pré-eliminatória da Liga dos Campeões de África. Os hidroeléctricos reconhecem que vão enfrentar enormes dificuldades para passar à eliminatória seguinte, mas estão imbuídos de muita crença em conseguir um bom resultado.

COSTA DO SOL CONSOLIDA LIDERANÇA

A turma orientada pelo português Horácio Golçalves entrou de rompante no desafio para resolver o jogo nos minutos iniciais, e logo aos seis minutos, numa detenção da defensiva do Baía, Johane abre o activo no Estádio Municipal de Pemba.

SIDIQUE E CHICO VENCEDORES

Os defesas Sidique, do Desportivo de Maputo, e Chico, do Ferroviário de Maputo, são os que mandam, no âmbito do “Prémio Desafio Melhor Jogador do Moçambola-2019”.

TARDE MILAGROSA DE MILAGRE

Nulo no marcador foi o resultado verificado na tarde do sábado no campo do Ferroviário da Beira em partida a contar para a 16° jornada do Moçambola, com o guarda-redes da equipa do Incomáti Milagre a defender todos lances claros de golos criada pela turma da casa. Numa partida em que os “locomotivas do chiveve” só podem se queixar de si próprios porque dominaram o jogo mas os pontas de lances não tiveram pontaria suficiente para marcar um golo mesmo com “penalty” assinalado pelo arbitro Eduardo Chissano aos 52 minutos Maninho chamado a cobrar não conseguiu enganar o herói da partida Milagre.

A VINGANÇA, 488 DIAS DEPOIS!

É preciso contar quatrocentos e oitenta e oito dias, ou seja, recuarmos para 10 de Abril de 2018 - jogava-se a segunda jornada da edição daquele ano do Moçambola, em pleno Estádio Nacional do Zimpeto - para encontrar um resultado similar de 3-1, que se verificou sábado último (10 de Agosto) entre os dois rivais da capital no vale do Infulene e favorável à família locomotiva, em dia de festejos em dose dupla (no fim explicamos os porquês). Naquela data de Abril o Maxaquene batera o Ferroviário com os mesmos números. Aliás, haveria nova vitória tricolor na segunda volta desta prova, na Machava, agora com diferencial de um golo, num resultado que terminou em 2-3. E como se não bastasse, Maxaquene tirava de forma precoce, no mítico Infulene, o Ferroviário da Taça de Moçambique (fase da cidade) com o mesmo resultado de 1-3.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Opinão

Publicidade