Elias trava euforia alvi-negra

Elias trava euforia alvi-negra

Quarenta e dois dias depois, cinco jogos, quatro vitórias, um empate, 11 golos marcados, dois...

Sonho em estar no CAN e no Mundial

Sonho em estar no CAN e no Mundial

A dama que acompanhou Abel Xavier ao altar e ao seu lado permaneceu durante dois anos na primeira...

TEODOMIRO ÂNGELO ENTRA SERENO E FOCADO EM DEIXAR UM FERROVIÁRIO AUTOSUFICIENTE

TEODOMIRO ÂNGELO ENTRA SERENO E FOCADO EM DEIXAR UM FERROVIÁRIO AUTOSUFICIENTE

Teodomiro Ângelo completa hoje, segunda-feira, sete dias depois que numa cerimónia concorrida foi...

PRÉ-OLÍMPICO AINDA PODE SALVAR A HONRA

PRÉ-OLÍMPICO AINDA PODE SALVAR A HONRA

Moçambique igualou o quarto lugar do Afrobasket de 2017 disputado no Mali, com quem perdeu mais...

Há 47 anos que Senegal não desce do pódio

Detoubab Ndiaye*,

Especial para odesafio

Fotos da FIBA.com

Com a conquista do 11.º título de campeã africana no passado sábado, 3 de Outubro, nos Camarões, o Senegal continua a escrever uma história impressionante no basquetebol feminino a nível continental. Há quase meio século que aquele país não desce do pódio. Apenas por uma vez não terminou o Afrobasket nos três primeiros lugares, curiosamente na Guiné-Conacry, em 1966, no ano da sua estreia africana.

Antes mesmo de conquistar a 24.ª edição do Afrobasket Sénior Feminino dos Camarões-2015, o Senegal já era a maior potência do basquetebol africano, parece que já não havia dúvidas para ninguém.

Mas o que, seguramente, muitos sabiam é que a vitória na final do recém-terminado Afrobasket, sobre a anfitriã Camarões, por 81-66 serviu para cimentar uma posição dominadora sem paralelo a nível africano e até mundial.

Excepção feita à sua estreia num Afrobasket em 1966, em Conacry, capital da Guiné-Conacry, quando termiunou em quarto lugar, o Senegal sempre subiu ao pódio.

Depois disso, a selecção sénior feminina de basquetebol do Senegal foi 11 vezes campeã africano em 22 edições.

Foi campeã em 1974 (Tunísia), 1977 (Senegal), 1979 (Somália), em 1981 e 1984 jogando novamente em casa; 1990 (Tunísia), 1993 (Senegal), 1997 (Quénia), 2001 (Tunísia), 2009 (Madagáscar) e 2015 (Camarões).

Por seis vezes foi vice-campeã, no Egipto (1968), Angola (1983), África do Sul (1994), Nigéria (2005), Senegal (2007) e Mali (2011).

Foi medalha de bronze no Madagáscar (1970) e em Moçambique, por duas vezes, em 2003 e 2013.

O Senegal nunca se deu bem jogando nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOPs), onde não foi capaz de defender os títulos que ostentava dos Afrobaskets de Angola-1983 e Moçambique, em 2003 e 2013.

Não obstante, as senegalesas são as rainhas das selecções femininas no continente.

É que a selecção senegalesa nunca perdeu um pódio nos Jogos Africanos desde o arranque do evento, em 1965, ostentando um impressionante recorde de sete títulos de campeãs.

As senegalesas venceram os Jogos Africanos do Congo-Brazzaville-1965, Nigéria-1973, Argélia-1978, Zimbabwe-1995, África do Sul-1999, Argélia-2007 e Maputo-2011.

Nesse seu brilhante trajecto, o Senegal tem uma má memória com Moçambique, com quem perdeu a final dos Jogos Africanos do Cairo, em 1991.

Tem ainda duas medalhas de bronze conquistadas no Quénia e Nigéria, respectivamente em 1987 e 2003.

Ao sair dos Jogos Africanos do Congo-Brazzaville-2015 sem uma única medalha, as senegalesas foram alvos de uma crítica severa, apenas uma semana antes do arranque do Afrobasket dos Camarões.

*Detoubab Ndiaye é um antigo jogador senegalês de basquetebol e jornalista desportivo. Enquanto jornalista, seguiu várias selecções senegalesas de basquetebol por diversas campanhas em África e no mundo. Vive e estuda actualmente no Brasil, ao mesmo tempo que está a escrever um livro sobre o basquetebol africano, com enfoque nas equipas femininas do Senegal.

Publicidade

Moçambola 2019

Publicidade

Publicidade

Moçambola 2019

Pos Equipe J DP Pts V E D GM GC
1. C. do Sol 16 +14 30 9 4 3 29 15
2. UD Songo 16 +8 28 9 2 5 20 12
3. Fer. Beira 16 +8 26 8 4 4 18 10
4. Fer. Nacala 16 0 25 7 4 5 17 17
5. Chibuto 16 +2 24 8 1 7 18 16
6. Textafrica 16 -5 23 7 3 6 13 18
7. Des. Maputo 16 +8 22 7 3 6 22 14
8. Fer. Maputo 16 +8 22 7 5 4 18 10
9. Nacala 16 0 21 6 4 6 16 16
10. Incomáti 16 0 20 6 5 5 16 16
11. ENH 16 -2 20 5 7 4 17 19
12. LD Maputo 16 0 17 5 5 6 14 14
13. Maxaquene 16 -3 16 4 5 7 17 20
14. Fer. Nampula 16 -7 13 3 6 7 15 22
15. B. de Pemba 16 -14 9 2 5 9 9 23
16. Têx. Púnguè 16 -17 6 1 5 10 8 25
UD Songo 2 : 0 Têx. Púnguè
Nacala 0 : 3 Fer. Nampula
Fer. Maputo 3 : 0 LD Maputo
Fer. Beira 0 : 0 Incomáti
ENH 0 : 0 Maxaquene
Des. Maputo 0 : 1 Fer. Nacala
Chibuto 1 : 0 Textafrica
B. de Pemba 2 : 3 C. do Sol

Opinão

Publicidade

  • Publicidade

Temos 360 visitantes e 0 membros em linha

Facebook