Elias trava euforia alvi-negra

Elias trava euforia alvi-negra

Quarenta e dois dias depois, cinco jogos, quatro vitórias, um empate, 11 golos marcados, dois...

Sonho em estar no CAN e no Mundial

Sonho em estar no CAN e no Mundial

A dama que acompanhou Abel Xavier ao altar e ao seu lado permaneceu durante dois anos na primeira...

TEODOMIRO ÂNGELO ENTRA SERENO E FOCADO EM DEIXAR UM FERROVIÁRIO AUTOSUFICIENTE

TEODOMIRO ÂNGELO ENTRA SERENO E FOCADO EM DEIXAR UM FERROVIÁRIO AUTOSUFICIENTE

Teodomiro Ângelo completa hoje, segunda-feira, sete dias depois que numa cerimónia concorrida foi...

PRÉ-OLÍMPICO AINDA PODE SALVAR A HONRA

PRÉ-OLÍMPICO AINDA PODE SALVAR A HONRA

Moçambique igualou o quarto lugar do Afrobasket de 2017 disputado no Mali, com quem perdeu mais...

Yaoundé é o palco da superação

Narciso Nhacila,

Enviado especial aos Camarões, com o apoio do INADE

A Selecção Nacional de basquetebol sénior feminina enfrenta na esta quinta-feira a anfitriã Camarões, em jogo da abertura da 20ª edição do Afrobasket que prolonga-se até 3 de Outubro. A equipa de Nazir Salé vem de uma má campanha nos XI Jogos Africanos do Congo-Brazaville, onde perdeu cinco dos sete jogos disputados e terminou em sexto lugar. 

Uma presença nas meias-finais será já um grande resultado do “cinco” nacional que chega aos Camarões depois de uma má prestação nos XI Jogos Africanos do Congo-Brazaville.

Em sete jogos ai disputados, Moçambique perdeu cinco e ganhou apenas dois.

Nos jogos em que a equipa de Nazir Salé perdeu, enfrentou parte das equipas que habitualmente jogam para o título.

Ganhou apenas ao Congo-Brazaville e a Costa do Marfim, adversários com pouca e limitada expressão em África, respectivamente.

Mas há mais por se dizer sobre esta presença da Selecção Nacional nos Camarões.

A equipa chega ao palco qualificativo aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro-2016 desfigurada, quando comparada com aquela que há dois anos foi vice-campeã africana e em 2014 disputou o Campeonato do Mundo da Turquia.

É que, por exemplo, das 12 jogadoras que em Setembro do ano passado tomaram parte do Campeonato do Mundo, aos Camarões chegam apenas cinco.

Isso equivale a dizer que sete mundialistas não conseguiram transitar para o Afrobasket de 2015.

Por isso, estas são razões que bastam para prever-se uma participação difícil do “cinco” nacional em Yaoundé, onde a superação de si mesma para manter a honra de Moçambique num palco onde é respeitada deverá ser o primeiro objectivo nesta empreitada.

Publicidade

Moçambola 2019

Publicidade

Publicidade

Moçambola 2019

Pos Equipe J DP Pts V E D GM GC
1. C. do Sol 16 +14 30 9 4 3 29 15
2. UD Songo 16 +8 28 9 2 5 20 12
3. Fer. Beira 16 +8 26 8 4 4 18 10
4. Fer. Nacala 16 0 25 7 4 5 17 17
5. Chibuto 16 +2 24 8 1 7 18 16
6. Textafrica 16 -5 23 7 3 6 13 18
7. Des. Maputo 16 +8 22 7 3 6 22 14
8. Fer. Maputo 16 +8 22 7 5 4 18 10
9. Nacala 16 0 21 6 4 6 16 16
10. Incomáti 16 0 20 6 5 5 16 16
11. ENH 16 -2 20 5 7 4 17 19
12. LD Maputo 16 0 17 5 5 6 14 14
13. Maxaquene 16 -3 16 4 5 7 17 20
14. Fer. Nampula 16 -7 13 3 6 7 15 22
15. B. de Pemba 16 -14 9 2 5 9 9 23
16. Têx. Púnguè 16 -17 6 1 5 10 8 25
UD Songo 2 : 0 Têx. Púnguè
Nacala 0 : 3 Fer. Nampula
Fer. Maputo 3 : 0 LD Maputo
Fer. Beira 0 : 0 Incomáti
ENH 0 : 0 Maxaquene
Des. Maputo 0 : 1 Fer. Nacala
Chibuto 1 : 0 Textafrica
B. de Pemba 2 : 3 C. do Sol

Opinão

Publicidade

  • Publicidade

Temos 782 visitantes e 0 membros em linha

Facebook