EXALTEMOS A PÁTRIA EM BISSAU

 

Atanásio Zandamela
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Fotos: ndyoka Jaime machel
 
Há muito que os Mambas não chegavam à última jornada de qualificação ao Campeonato Africano das Nações (CAN) com hipóteses matemáticas de apuramento como sucede na campanha rumo ao Egipto-2019, o país que em 1986 testemunhou a estreia de Moçambique na maior prova continental. Sabe-se que o adversário (Guiné-Bissau) para além de ser forte depende de si para se qualificar, mas Moçambique está a investir tudo para o regresso, nove anos depois, ao CAN. Aliás, desta vez viu-se inclusive o Governo e a Federação Moçambicana de Futebol (FMF) a criarem condições inclusivamente para o estágio de 15 dias que termina hoje em Pretória, no qual Abel Xavier trabalhou os jogadores que não têm ritmo igual ao de Mexer, Dominguez, Zainadine Jr. entre outros, porque o treinador acredita que há que nivelar, uma vez que alguns, sobretudo de fora de Maputo, não tinham competições. Está-se a dar quase tudo que o técnico precisa para que um eventual fracasso não seja por falta de apoio. E o que espero dos Mambas sábado em Bissau, a cidade onde os “Djurtos” não perderam nenhum jogo da campanha, é que os “Mambas” façam de tudo para vencer este encontro, em que só o triunfo interessa. Peço um triunfo, mesmo reconhecendo que não será tarefa fácil, não obstante o ranking da FIFA nos colocar à frente dos bissau-guineenses – 117 para 119. Neste momento a Guiné-Bissau está à frente da classificação no grupo e com o factor casa a seu favor. Mas o facto casa não pode assustar, até porque já vi estes Mambas de Abel Xavier jogarem melhor fora que em casa. Foi assim na Zâmbia quando arrancaram um triunfo (1-0) histórico em Ndola e em Windhoek, onde apesar da derrota (1- 0) jogaram melhor do que haviam feito na capital diante da Namíbia que é responsável por estarmos com a calculadora na mão. Acredito que com o apoio de mais de 50 pessoas que são esperadas no Estádio 24 de Setembro, com capacidade para 20 mil espectadores, os Mambas vão exaltar esta pátria, que precisa de motivos para sorrir, num momento em que vivemos de alguma tristeza.
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Próximo Jogo

Publicidade