Procura-se matador!

Uns guerreiros sem um “matador” é como se apresenta actualmente o Clube do Chibuto, que perdeu a espinha dorsal de 2018. Daí que o seu treinador, Sebastião Sitói, encontra-se neste momento focado na busca de um avançado que se apresente com instinto de matador, missão que considera difícil, dada às dificuldades financeiras para contratar os melhores.

No final do jogo em que o Clube do Chibuto perdeu (1- 0) diante do Maxaquene, na quarta-feira, no campo do Afrin, a nossa Reportagem conversou com o Sebastião Sitói, que desde dia 21 de Janeiro luta para formar um conjunto forte e capaz de garantir a luta pela manutenção, que diz pretender que seja “tranquila e que chegue mais cedo de modo a ter uma segunda volta mais tranquila”.

Na conversa que manteve com o desafio o treinador considerou que os cerca de 20 dias de trabalho à frente do Clube do Chibuto têm sido de grande desafio.

Leia mais...