UM FUTEBOLISTA ROUBADO PELA MÚSICA

Por:Reginaldo Cumbana
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Fotos do Arquivo do entrevistado

Chama-se Salimo Muhamad, por conta da conversão ao islamismo. Na verdade, este verdadeiro “mastodonte” da música moçambicana nasceu Simião Mazuze, nome que o acompanhou até ao “exílio” forçado em Bilibiza, no Norte do país, cujos alguns acontecimentos agridoces estiveram na génese da mudança de nome deste renomado músico, mantendo, porém, as iniciais do registo original (SM).

É um enigmático homem-show de longa estrada, sobejamente conhecido pela qualidade da sua música (“gourmet”, diga-se), “destilada” em ambientes de verdadeiro transe, de que saem letras cheias de parábolas, que podem ter atingido o pináculo (quanto a mim) em “Sambrôwera Fandanga”.

Salimo Muhamad não seria este músico se os demónios do canto e da dança não o habitassem e estamos em crer que outros não exorcizados ficaram por revelar outras faces deste canhoto que em criança, na adolescência e um pouco na fase adulta, foi um exímio fazedor da ala esquerda em muitos campos de futebol, tendo, porém, se deixado engolir pela música.

Leia mais...