Mocuba esmera-se para estar na rota do desporto nacional

Jean David Rebêlo, membro-fundador da ARM, disse que o objectivo dos antigos sócios não é necessariamente gerir o património, mas sim criar condições de reabilitação para depois injectar sangue novo em termos de gestão. Neste momento, segundo ainda o nosso entrevistado, o clube não está a movimentar nenhuma modalidade desportiva e o principal desafio é melhorar as infra-estruturas.

FUTEBOL E BASQUETEBOL COM CAMPOS EM UTILIZAÇÃO

Em Mocuba, a nossa Reportagem constatou que as únicas infra-estruturas que estão a ser utilizadas para a prática desportiva são os campos de futebol e basquetebol. As outras, como por exemplo a piscina olímpica e o pavilhão polivalente, estão subaproveitadas, funcionando apenas os bares, que agora foram transformados em discotecas. Os convivas depois de consumir bebidas atiram garrafas e latas de cerveja e refrescos para as piscinas, como se isso fosse normal. As pessoas que estão a explorar as discotecas e restaurantes não se comovem com isso.

A sala de cinema está igualmente subaproveitada. Os dois campos, sendo um de futebol e outro de basquetebol, é que estão a ser usados. O de futebol é usado não só por jovens entusiastas que procuram promover intercâmbios entre bairros como também pela equipa do Matchedje de Mocuba, que participou e conquistou a edição 2017 do Campeonato Provincial de Futebol da Zambézia. Ainda assim o campo tem um piso pelado e as suas bancadas precisam de ser reabilitadas, porque na próxima época vai receber jogos da Divisão de Honra.

Jocas Achar