SEMPRE SOUBE QUE IA SER TITULAR

Por: Joca Estêvão
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Fotos de Luís Muianga
 
Quando o Ferroviário de Maputo foi buscar Franque, com 21 anos de idade, no ENH de Vilankulo, tendo os experientes Simplex e Germano no seu plantel, este pensou que teria poucas oportunidades para jogar. Aliás, a aposta da equipa técnica chefiada por Nélson Santos teve como primeira vista o guardião malawiano, que no nosso entender terá falhado em alguns jogos. O que se esperava é que Germano fosse o titular depois de Simplex, mas os locomotivas decidiram surpreender a tudo e a todos com ao chamar Franque para ser o número um da sua baliza. Entretanto, no jogo da Taça de Moçambique que decidiu o afastamento do Ferroviário da prova (perdeu por 3-1), Simplex foi o titular, sofrendo três golos, e no retorno ao campeonato Franque voltou a ser chamado para ser o número um. 

De jogo a jogo Franque foi mostrando que tinha qualidades acima da média, justificando a razão de ser o guarda-redes que mais confiança transmitia à equipa. Os adeptos também passaram a habituar-se à sua figura e exibições, muita de vulto, que mantêm o Ferroviário de Maputo em boa posição na tabela classificativa, com muitas boas condições de discutir o título até ao fim. Os jogos feitos contra o Costa do Sol, Chibuto, União Desportiva do Songo e Ferroviário de Nacala, sobretudo, colocaram-no à prova, mostrando que Moçambique está diante de um guarda-redes que não passa despercebido.

Leia mais...

Pág. 3 de 7

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Opinão