O protegido de Justino Faduco já brilha na arbitragem africana

Por: Narciso Nhacila
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Fotos de Luís Muianga
 
É , sem dúvidas, o melhor árbitro central moçambicano da actualidade, assinalando uma ascensão meteórica dentro e fora de portas, legitimando um talento que desde cedo foi reconhecido e protegido por quem tinha essa responsabilidade em Moçambique ou por essa África fora. A história de uma carreira em franca progressão que está sendo escrita por Celso Alvação, da província de Inhambane, fica muito a dever-se à protecção que o jovem árbitro recebeu do antigo juiz internacional Justino Faduco. Foi ele que por volta de 2003 e depois de ter acompanhado Celso a apitar nos Jogos Escolares e no futebol recreativo teve a ousadia de inscrevê-lo num curso de formação de árbitros, quando este tinha um impedimento absoluto, visto que aos 14 anos não podia fazer parte de uma acção de formação destinada a quem tivesse 18 anos como idade mínima exigida. Contra as normas estabelecidas, Justino Fuduco, no curso em alusão instrutor, determinou que fosse aberta uma excepção para a participação de Celso Alvação, visto que tinha a certeza que seria não só naquela formação o melhor instruendo como também se tornaria num árbitro internacional que orgulhasse o país.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Opinão

Publicidade