MWANDZEGUELE: UMA HISTÓRIA NARRADA PELO “ARANHA NEGRA”

Por: GILBERTO GUIBUNDA
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Fotos de Luís Muianga
 
O renomado político e historiador burquinabê Joseph Ki-zerbo (1922-2006) foi, de entre tantos, um acérrimo defensor de que a história, os hábitos e costumes africanos devem ser escritos pelos próprios africanos. A ideia de que África não tem história deturpou grandemente a verdade sobre muitos factos, porque o Homem africano, em especial o do sul do Sahara, foi relegado pela corrente  eurocentrista à margem do pensamento e  conhecimento da Humanidade.  A glorificação dos reis pela implantação dos grandes palácios da época fez com que o Homem comum, aquele que dia e noite, debaixo do calor intenso ou da chuva, fosse grosseiramente esquecido on seu papel de principal responsável pela edificação dos monstruosos arranha-céus, estradas, pontes, estádios, etc.! - quantos deram a vida e quantos tombaram nestas construções? Enfim, a história e os seus protagonistas melhor falarão do que o articulista deste texto.