Fui vítima de uma arbitragem estúpida!

chegou a afirmar que no regresso a Maputo acertaria as contas com a direcção  do seu clube e abandonaria o futebol moçambicano. Contudo, o técnico refreou, mas não deixando de lado a hipótese.  

A actuação do árbitro Felismino dos Santos, que na óptica do técnico agiu de má-fé, prejudicando a sua equipa de forma tendenciosa, foi a gota d’água que fez transbordar uma fúria que há muito andava entalada em sua garganta. O sentimento de Akil Marcelino estendeu-se igualmente à direcção do clube, que através do seu presidente, Rafik Sidat, para além de solidarizar-se com o seu colaborador, chegou a afirmar, num programa televisivo, que havia gente interessada em fazer o clube descer de divisão.

Dias depois das declarações explosivas, Akil Marcelino, que falou ao desafio, disse ter proferido tais declarações de cabeça quente, mas que não deixa de lado a possibilidade de abandonar o futebol e dedicar a sua vida em outras actividades menos desgastantes, caso situações similares aconteçam de novo.

– Reconheço que o árbitro é humano e está sujeito a cometer erros. Já fui prejudicado e também já beneficiei de alguns erros por parte da arbitragem, mas devo dizer que em 15 anos de carreira que tenho nunca antes havia sido prejudicado com uma arbitragem tão estúpida e escandalosa como aquela! Pude perceber que aquele árbitro veio com a missão bem estudada e com intuito de prejudicar a minha equipa, afirma Akil Marcelino.

Raimundo Zandamela