Quero ser respeitado como Dominguez

Parkim não se coibiu, depois de questionado sobre o que significava para si jogar ao lado de Dominguez, que é uma “estrela” e referência dentro e fora do país. Aliás, o mesmo recordou que o "capitão" o tem ajudado na comunicação com o treinador e é acima de tudo prestativo em quase todos os aspectos.

Real Madrid campeão mundial de clubes com hat-trick de CR7

O Real Madrid conquistou o Mundial de Clubes com muito mais sofrimento do que parecia provável e com Cristiano Ronaldo a decidir no momento chave. Hat-trick do Bola de Ouro, os dois últimos já no prolongamento, a permitir ao Real Madrid erguer o troféu em Yokohama, perante um combativo Kashima Antlers.

Witi e Geraldo mudam de treinador

O Nacional da Madeira, de Witiness Quembo e Geraldo Matsimbe – emprestado aos alvi-negros da Choupana pelo Sporting de Braga "B" – vai de mal a pior na Liga Portuguesa.

Chelsea chega às onze vitórias seguidas

Continua o registo impressionante do Chelsea na Premier League. Desde Setembro que a equipa de Antonio Conte só sabe ganhar no principal campeonato inglês e, sábado último, alcançou a 11ª vitória consecutiva, desta feita no reduto do Crystal Palace, por 0-1.

Líder isolado da Liga, o Chelsea precisou apenas de um golo de Diego Costa ainda na primeira metade (minuto 43) para carimbar mais um triunfo e, assim, chegar aos 43 pontos, passando agora a responsabilidade para os seus perseguidores.

ANTONIO CONTE

BATE RECORDE

O Chelsea vai de «vento em popa» e igualou o registo de mais vitórias consecutivas do clube na era da Premier League, superando a melhor marca, que pertencia a José Mourinho em 2005/06.

Desde que Antonio Conte perdeu no Emirates com o Arsenal e mudou o sistema para 3-4-3 não mais parou de ganhar. Onze vitórias, 25 golos marcados, dois sofridos e 33 pontos que fazem com que os blues liderem com 43 pontos, mais nove que os perseguidores, que ainda não disputaram esta jornada.

Este registo iguala a melhor sequência no clube de 11 triunfos de Guus Hiddink e Ancelotti, embora seja uma série que junte a parte final da época 2008/09 e o início de 2009/10. Olhando a sequência na mesma temporada, Conte bate o registo de 10 triunfos de Mourinho em 2005/06 e lidera agora a tabela.

Analisando o registo conseguido pelo italiano no contexto «Premier League», só Arsène Wenger fez melhor. Na época 2001/02 o Arsenal venceu 13 partidas consecutivas, num ano em que foi campeão sem derrotas.

Antonio Conte e este renovado Chelsea ocupam o segundo posto, com igual número de vitórias do Liverpool em 2011/12 e do Manchester United em duas ocasiões: 1999-2000 e 2008-2009.

Até ao fim do ano o conjunto de Stramford Bridge pode igualar o registo dos Gunners se vencer o Bournemouth, no Boxing Day, e o Stoke City no último dia do ano.

Reginaldo de reencontro com os golos

O extremo esquerdo Reginaldo, que trocou a Segunda Liga Portuguesa (representava os açorianos da Santa Clara) para representar o Luftetari da Albânia, com 15 jogos, ele que esteve presente nos amigáveis dos Mambas diante do Quénia e África do Sul, depois de ausência prolongada, voltou a encontrar o caminho da felicidade.

Águia sobrevoa amoreia sem autoridade

Um Estoril ainda a refazer-se de uma chicotada deu água pela barba ao Benfica, que talvez não esperasse tantas dificuldades numa deslocação a um reduto onde tinha a oportunidade de garantir desde já o pouco mais do que simbólico título de campeão de Inverno.

Uma águia pouco real e pouco incisiva no último terço permitiu à equipa da linha alimentar a incerteza no marcador e quase estragar os planos do campeão nacional, que volta a sair de um jogo com motivos para agradecer a Ederson.

Primeira parte com os encarnados a sentirem muitas dificuldades em libertar-se das amarras de um Estoril que se apresentou com um bloco muito compacto.

Ainda que se tenha dado a conhecer como um apologista de futebol artístico, o novo técnico da equipa da linha sabia que neste sábado dificilmente poderia dar-se a esse luxo. Optou por uma estratégia conservadora, com Afonso Taira atento às movimentações entre linhas dos homens mais adiantados do Benfica e Diogo Amado e Eduardo a limitarem a influência de Pizzi, quase sempre com pouco tempo para pensar o jogo.

Ainda que conseguissem sair em transições rápidas após recuperações de bola, os encarnados mostravam poucas ideias em ataque organizado. Futebol lento, previsível, quase como se esperassem por uma desatenção dos defesas estorilistas. Foram poucas as brechas que a muralha da Amoreira abriu, mas aconteceram. Numa saída para o ataque, um erro de Diakhité quase terminou Guedes a festejar.

Na baliza do Estoril morava um paladino competente. Sempre muito atento aos lançamentos longos para as costas dos centrais, Moreira punha em prática muita da sabedoria adquirida nos 12 anos de águia ao peito e ia apagando um ou outro foco de incêndio.

A jogar para entrar em 2017 na liderança, a equipa de Rui Vitória tardava em encontrar a solução para se desembaraçar da teia montada pelos homens de Pedro Gómez Carmona, cada vez mais adaptados às movimentações constantes dos quatro homens mais adiantados do campeão nacional. Pior: ainda esteve em vias de ir para o descanso em desvantagem após um remate de Bruno Gomes ao poste esquerdo.

A versão encarnada na segunda parte estava longe de constituir um upgrade até ao momento que acabou por decidir o jogo. Numa altura em que Mitroglou já esperava junto ao centro do terreno para ser lançado em jogo, um desequilíbrio de Cervi terminou com a bola no braço de Ailton, que deslizava junto ao solo. Chamado a bater, Raúl Jiménez bateu o castigo máximo com frieza e fez o 1-0 à passagem da hora de jogo.

O golo tardou, mas parecia constituir o paliativo ideal para um fim de jogo tranquilo dos encarnados perante um Estoril que teria obrigatoriamente de romper com o protocolo e começar a expor-se mais a partir daquele momento.

Só que os encarnados, que entretanto renovaram a frente de ataque com Mitroglou e Jonas (brasileiro entrou aos 79 minutos para a ovação da noite e ainda esteve perto do golo em duas ocasiões) continuavam a demonstrar pouco acerto no ataque.

Mais do que isso, não conseguiam suster as manobras ofensivas da equipa da casa, que encheu o peito de ousadia após as entradas de Alisson e Tocantins. Pouco protegido pelo setor defensivo, Ederson foi chamado a vestir a capa de super-homem pela segunda vez no espaço de uma semana. Aos 71’ ganhou no mano a mano com Tocantins e depois brilhou a remate de Alisson num remate de meia-distância. Quem diria?

Já dos descontos, Tocantins quase ia dando corpo ao atrevimento do Estoril, mas não chegou a tempo da emenda.

A águia voou baixinho no Estoril. Esteve longe de convencer, obrigou os adeptos a imprevisíveis momentos de sofrimento e deixou transparecer alguns sinais preocupantes, mas cumpriu os requisitos mínimos.

Passa o ano na liderança do campeonato. É satisfatório?

Resultados da jornada (14ª)

Data

Visitado

 

Visitante

16-12-2016

Paços Ferreira

1 - 0

Belenenses

17-12-2016

Moreirense

1 - 4

Arouca

17-12-2016

Estoril

0 - 1

Benfica

18-12-2016

Tondela

1 - 1

Boavista

18-12-2016

Rio Ave

2 - 1

Nacional

18-12-2016

V. Guimarães

3 - 1

V. Setúbal

18-12-2016

Sporting

0- 1

Sp. Braga

19-12-2016

Marítimo

(hoje)

Feirense

19-12-2016

FC Porto

(hoje)

Desp. Chaves

 

 

Próxima jornada (15ª)

Data

Visitado

 

Visitante

15-12-2016

FC Porto

 -

Marítimo

21-12-2016

Benfica

-

Rio Ave

22-12-2016

Nacional

-

Boavista

22-12-2016

Feirense

-

Paços Ferreira

22-12-2016

Sp. Braga

-

Moreirense

22-12-2016

Belenenses

-

Sporting

22-12-2016

Desp. Chaves

-

Estoril

23-12-2016

V. Setúbal

-

Tondela

23-12-2016

Arouca

-

V. Guimarães

 

 

Classificação

   

J

V

E

D

GM

GS

DG

P

1

Benfica

14

11

2

1

30

8

22

35

2

FC Porto

14

9

4

1

26

6

20

31

3

Sp. Braga

14

9

2

3

25

12

13

29

4

Sporting

14

8

3

3

24

13

11

27

5

V. Guimarães

14

8

3

3

26

17

9

27

6

Rio Ave

14

7

2

5

19

17

2

23

7

Desp. Chaves

13

4

7

2

13

11

2

19

8

Marítimo

14

5

2

7

9

13

-4

17

9

Belenenses

14

4

5

5

10

14

-4

17

10

Arouca

14

5

2

7

13

18

-5

17

11

V. Setúbal

14

4

4

6

13

16

-3

16

12

Paços Ferreira

14

4

4

6

16

21

-5

16

13

Estoril

14

4

3

7

11

17

-6

15

14

Boavista

14

3

5

6

14

18

-4

14

15

Nacional

14

3

2

9

14

23

-9

11

16

Moreirense

14

3

2

9

13

24

-11

11

17

Feirense

13

3

2

8

10

28

-18

11

18

Tondela

14

2

4

8

12

22

-10

10

 

Mexer em alta

A cumprir a sua terceira época nos franceses, Mexer, 7º classificado da Liga 1, com 28 pontos em 19 jogos, tem sido o esteio da defesa do técnico francês Christian Gourcuff. Esta época já actuou onze vezes como titular, último dos quais a 21 de Dezembro passado e que deu em empate com Lille (1-1).

Já são nove chicotadas na Liga

Com a oficialização da saída de Jorge Simão do HYPERLINK "http://www.maisfutebol.iol.pt/liga/17-12-2016/oficial-jorge-simao-e-o-novo-treinador-do-sp-braga"DespHYPERLINK "http://www.maisfutebol.iol.pt/liga/17-12-2016/oficial-jorge-simao-e-o-novo-treinador-do-sp-braga". Chaves para o HYPERLINK "http://www.maisfutebol.iol.pt/liga/17-12-2016/oficial-jorge-simao-e-o-novo-treinador-do-sp-braga"SpHYPERLINK "http://www.maisfutebol.iol.pt/liga/17-12-2016/oficial-jorge-simao-e-o-novo-treinador-do-sp-braga". Braga,passam a ser nove as mudanças de treinador na Liga no decorrer desta época.

Pág. 9 de 13

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Opinão

Publicidade