Associações pressionam FMV a apostar na formação e massificação

O voleibol tem a ambição de chegar aos próximos Jogos Olímpicos. O presidente reeleito, Khalid Cassamo, defende a qualificação como uma das principais conquistas para o mandato que termina em 2020. A nossa equipa de reportagem buscou várias intervenções das diferentes associações provinciais para medir o estágio da modalidade, entre elas do “pai” do voleibol, Camilo Antão.

Para já a Federação Moçambicana de Voleibol (FMV) fez um orçamento de 16 milhões de meticais. O valor representa mais da metade que o Fundo de Promoção Desportiva (FPD) projectou para o presente ano. Ademais, dois milhões oitocentos e cinco mil meticais deverão, segundo as provisões de FMV, vir do FPD, o que será pouco provável. O valor deverá, entre outras despesas, assegurar a realização da Taça de Moçambique, pela primeira vez; vários campeonatos de qualificação para diferentes provas internacionais, em ambos os sexos e massificação. Mas qual é a real saúde da modalidade? As associações provinciais falaram sumariamente de cada situação.

Deanof Potompuanha/Luís Muianga

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Próximo Jogo

Publicidade