Assembleia ultrapassou os limites do bom senso

Num ambiente de crispação e de desconfiança entre as duas listas, a reunião magna ficou manchada pelas acusações e uso de vocabulários impróprios entre os sócios apoiantes das duas listas. 

Entornou-se o caldo na última assembleia-geral (AG) ordinária do Automóvel & Touring Clube de Moçambique – ATCM, realizada quinta passada, cujo ponto mais alto seria o sufrágio que elegeria os novos órgãos sociais daquela associação com automóvel. A AG foi interrompida quando se aproximava para as 23h30, quando o presidente da mesa de assembleia, José da Silva, resignou-se de continuar a dirigir uma reunião que até então vinha quente e a ultrapassar os limites de bom senso, entre os sócios da colectividade. Com o presidente da mesa, demitiram-se igualmente os restantes elementos que encabeçavam esta comissão, nomeadamente Luís Rocha e Marino Somá. Logicamente que não havia condições para a reunião magna continuar, carregada de antecedentes de maior.

Gilberto Guibunda