Moçambique entra a perder no "Mundial"

da Itália - o adversário mais temido do grupo - por 4-1. 

Moçambique nunca chegou a ter a tranquilidade que era necessária para enfrentar uma Itália, que há muitos todos do grupo de trabalho - incluindo o técnico - já a consideravam como sendo uma equipa bastante difícil e experiente.

Nuno Araújo foi baptisado ontem e chegou a ser titular num "cinco" que incluía o guarda-redes Igor Alves, para além de Frederico Saraiva, Spiros Esculudes e Mário Rodrigues. Com esta equipa, Moçambique entrou destemido e procurava ter o controlo da bola, imprimindo alguma pressão, mas a Itália não demorou a mostrar uma grande capacidade de luta e aos poucos foram conseguindo desequilibrar a balança, sobretudo no momento em que Moçambique parecia estar a fechar-se mais do que a atacar. Foi mesmo nesse momento que surgiu o golo italiano por Davide Motaran, quando faltavam nove minutos para o final da primeira metade.

Três minutos depois de sofrer o golo, Mário Rodrigues esteve à beira de empatar quando surgiu isolado frente ao guarda-redes italiano, mas rematou ao lado. Depois foi Frederico Saraiva que não conseguiu bater o italiano numa altura em que Mário Rodrigues havia cedido lugar a Ivan Esculudes.

Ainda que tenha tentado reagir à desvantagem Moçambique não conseguiu concretizar a sua intenção de ir ao intervalo no mínimo a empatar.

Intervalo não ajudou  

O intervalo não terá ajudado Moçambique a reorganizar-se melhor para primeiro empatar a partida e depois lutar por inverter. Muito pelo contrário assistimos a uma Itália cada vez mais confiante, que marcou o segundo golo (a 15 minutos do final), desta feita por Gaston Deoro que aproveitou uma clara distracção da defensiva nacional.

Após isso o jogo de Moçambique passou a ser de ansiedade com os jogadores nalgum momento a tentarem resolver o jogo com a rapidez que não se recomenda. Doutro lado, a Itália tranquilizava-se com o resultado que lhe era favorável perante o desespero dos nacionais.

Mas porque nunca baixou os braços reduziu a nove minutos do final por intermédio de Nuno Araújo, que se estreava a marcar no dia do seu baptismo. Frederico Saraiva ainda esteve perto de empatar a quatro minutos do final, mas o seu livre directo não resultou em golo, numa altura em que Moçambique jogava com uma unidade a mais. Entretanto, a Itália bastante tranquila marcou mais dois golos vencendo por 4-1, ficando claro que Moçambique só poderá lutar pelo segundo lugar.

Ficha técnica:

Pavilhão de Welwitschia Mirabilis, em Namibe

Assistência: cerca de 2000 espectadores

Árbitros: Sanchez (Espanha), Alexandrino (Brasil) e Armati (Suíça)

Golos: Davide Motaran, Miguel Nicolas (2), Gaston Deoro pela Itália e Nuno Araújo por Moçambique.

Itália,: Leonardo Barozzi, Davide Motaran, Miguel Nicolas, Frederico Ambrosio, Diego Nicoletti, Gaston Deoro, Domenico Illuzzi, , Sérgio Festa, Mattia Cocco e Riccardo Gnata.

Treinador: Massimo Mariotti

Moçambique,: Igor Alves, Frederico Saraiva Nuno Aráujo, Spiros Esculudes, Mário Rodrigues, Ivan Esculudes, Bruno Pinto, Filipe Nabais, Nelson Miquicene,Arnaldo Queiroz,

Treinador:José Querido

hoje Moçambique

enfrenta ESTADOS UNIDOS

Depois da estreia menos conseguida ontem diante da Itália (derrota por 4-1) a selecção nacional de Moçambique defronta a partir das 19.30horas de Maputo (18.30 de Angola) os Estados Unidos, que na abertura do jogo do grupo "D" venceu a Colômbia, por 7-6, resultado encontrado no desempate através de grandes penalidades depois de uma igualdade a quatro golos durante os 40 minutos e nos cinco de prolongamento. Para não hipotecar as hipóteses de voltar a Luanda para disputar os quartos-de-final, Moçambique precisa de vencer os Estados Unidos esta note e depois a Colômbia amanhã na partida que vai marcar o final desta fase.

Caso ocupe os primeiros dois lugares do grupo, como desejamos e acreditamos, na quarta-feira, dia de descanso e de feriado Nacional em Moçambique, a delegação nacional (e as outras sete selecções apuradas) voltará a Luanda para disputar os quartos-final. Sentido inverso será tomada pelas oito equipas que estão em Luanda, que não conseguirem o passaporte para a fase seguinte.

Em Namibe disputar-se-ão os jogos para a classificação geral e acima de tudo se fugir da despromoção ao grupo "B" enquanto a fase decisiva será em Luanda.

Alemanha e Espanha

conseguem resultados desnivelados

As selecções da Alemanha e da Espanha conseguiram os resultados mais desnivelado da competição. Os alemães venceram (10-1) Uruguai numa partida em que em apenas quatro minutos já vencia por 4-0. Nada que surpreenda até porque os uruguaios vem do grupo "B" onde estiveram em quarto lugar e como se não bastasse chegaram ao "Mundial" repescados para substituir a Inglaterra, que desistiu há poucos dias da prova.

Já em Luanda, a Espanha derrotou a Áustria por claros 9-0. A campeã em título, Espanha, venceu a Suíça por 9-1.

Argentina venceu a França, por 3-1.  

Grupo "D"

Classificação Actual

                     J          V         D           G         P

Itália               1          1         0          4-1        3

EUA                1          1         0          4-4       3

Colômbia          1          0         1          4-4       0

Moçambique     1          0         1          1-4       0

Atanásio Zandamela, nosso enviado especial a Angola

Fotos cedidas pela Angop