Alaranjados voltam a conquistar campeonato da cidade em hóquei

Até porque o arranque fazia pensar que fosse apenas isso (perdeu frente ao Desportivo e Ferroviário), mas o 5-1 com que os “alaranjados” derrotaram o Ferroviário de Maputo, na noite de quinta-feira, mostrou que estamos perante uma equipa de respeito que regressa, desta forma, aos títulos 22 anos depois (a última vez foi em 1992).

Ivan Esculudes “Maninho”, que trocou o verde e branco do Ferroviário pela laranja, foi o principal responsável pelo título, ao marcar três dos cinco golos com que o Estrela humilhou o Ferroviário na derradeira jornada.

O Ferroviário, que entrou para a derradeira jornada precisando apenas de um ponto para renovar o título, até começou muito bem com Mafamba a abrir o marcador. Mas a reacção “alaranjada” não se fez esperar com Maninho, determinante, ao apontar sequencialmente três golos que permitiram que a equipa de Pedro Pimentel fosse ao intervalo a vencer, por 3-1, e acima de tudo com o jogo controlado. O 4-1 foi da autoria do jovem Kevin, que entrara na segunda parte. Estava praticamente encontrado o novo campeão, mas Mungói ainda foi a tempo de fazer o quinto, minutos depois de Mafamba ter perdido uma oportunidade de reduzir a desvantagem.

E foi mesmo com uma goleada, assistida por muita gente da direcção “alaranjada” (incluindo o próprio presidente, Luís Manhique, que tanto vibrou pela conquista no ano em que voltou a investir forte numa modalidade que em 1993 deu um título africano ao clube), que o Estrela se sagrou campeão 22 anos depois.

Com o título ganho, o Estrela já sonha em voltar a ser campeão africano da modalidade.

O campeonato terminou com a conquista do título pelo Estrela (17 pontos), que destronou o Ferroviário, que por sua vez se contentou com o segundo posto (16). Já o Desportivo, que venceu a Académica por 10-4, ficou em terceiro lugar (15) e Académica foi lanterna vermelha, sem nenhum ponto.