Temos de entrar focados na vitória

Pascoal Loforte afirma que, ao contrário do futebol 11, no de praia, para se viajar com alguma tranquilidade para o jogo da segunda mão, que se disputa a 18 de Setembro, é preciso sair-se da arena do Ma Tchicki-Tchicki com uma diferença confortável.

- No futebol de praia, um bom resultado seria vencer folgadamente. Não podemos pensar no que acontece, por exemplo, no futebol de 11, em que quando ganhas por 2-0 pensas que tens caminho andado. No de praia, só uma grande diferença transmite certa tranquilidade, e estaremos focados nisso no domingo.

A preparação para esta campanha começou em Julho passado com um total de 25 atletas, número que ficou reduzido para 20, dos quais serão seleccionados 16 para o jogo de domingo. E desde a fase iniciada a 1 de Julho até semana passada, a selecção cumpria quatro sessões semanais, tendo os primeiros dias sido reservados para a recuperação física, pois“Junho e Julho são meses de paragens, espécie de defeso, devido ao Inverno. E nesse aspecto estou satisfeito porque os jogadores estão a corresponder e acredito que nos dias que faltam conseguiremos colmatar as lacunas que ainda existem”.

Atanásio Zandamela/Luís Muianga