Sorteio das Afrotaças não assusta

Os adversários das equipas moçambicanas na ronda preliminar das Afrotaças são considerados como sendo do nosso nível, não devendo assustar a nenhum dos dois representantes moçambicanos. No entanto os técnicos falam da necessidade de muita calma para que o favoritismo se materialize.

Olhando superficialmente para o historial dos dois conjuntos pode-se considerar que não existem razões para grandes preocupações perante equipas sem grande expressão nas competições de clubes de África.

A campeã nacional, Liga Muçulmana, discutirá o acesso à fase dos dezasseis-avos-de-final da Liga dos Campeões Africanos frente ao CNaPS, do Madagáscar. Para a mesma fase, mas a contar para a Taça CAF, o Ferroviário da Beira defrontará o AZAM da Tanzania. Os jogos da “primeira mão” serão entre 7 e 9 de Fevereiro de 2014.

Caso passem esta fase já conhecem os prováveis adversários. No caso, a Liga deverá enfrentar o vencedor do Black Africa (Namíbia)-Kaizer Chiefs (África do Sul). Enquanto o Ferroviário da Beira poderá jogar com o Zesco (Zâmbia), que esteve isento da primeira eliminatória.

Os técnicos reconhecem que têm a obrigação de discutir a eliminatória, mas reconhecem o valor dos adversários, apesar do seu historial não muito conhecido.

CNaPS não compete

 desde Outubro

Apesar de ultimamente os moçambicanos enfrentarem dificuldades perante formações do Madagáscar, os muçulmanos apresentam-se com melhores argumentos. A Liga, apesar de poucos anos de existência, tem melhor historial, contando com três campeonatos ganhos, ao contrário dos malgaxes, que apenas têm um campeonato conquistado (2010), para além de uma Taça e uma Supertaça.

Por outro lado, os dois conjuntos vão partir em pé de igualdade, uma vez que o campeonato malgaxe terminou um mês antes (Outubro) do Moçambola. E por aí não haverá justificação de desnível competitivo.

AZAM sem tradição

mas com jogos nos pés

Ainda que não seja o nome a jogar, a verdade é que o Ferroviário da Beira vai se cruzar com uma equipa sem historial africano, pois o vencedor da Taça da Tanzania, tal como apurámos através de agências internacionais, está a tentar dar seus primeiros passos.

O Azam Football Club estreou-se na Tanzania Premier League somente na época 2008/9, em que terminou em oitavo lugar. Duas temporadas depois (2011/12) terminou o campeonato em segundo lugar, histórico para si e disputou a Taça CAF em 2013.

A equipa foi fundada em 2007 tendo ascendido à Premier League graças ao investimento que foi feito na contratação dos melhores jogadores locais.

Na última temporada, para além de ter ficado em terceiro lugar, venceu a Taça e na sua equipa tem o terceiro melhor marcador do campeonato local.

As consultas que fizemos às agências internacionais mostram que esta equipa terá a vantagem de ter o campeonato na sua metade, tendo já disputado 13 jornadas, sendo que à altura do fecho desta reportagem ocupava a segunda posição. 

Liga respeitosa mas

só pensa em transitar

Sérgio Faife, treinador-adjunto da Liga

O treinador-adjunto da Liga Muçulmana, Sérgio Faife, reagiu ao sorteio considerando que a sua equipa é favorita, mas que no entanto terá que provar esse estatuto dentro do campo.

O técnico lembra que a história de jogos entre equipas moçambicanas e malgaxes tem mostrado que há uma notável transcendência da parte dos muçulmanos.

- Há uma superioridade considerável, mas teremos que trabalhar para transitar à eliminatória seguinte.

O técnico-adjunto dos campeões nacionais considera que é importante que a Liga faça melhor nas Afrotaças depois do que conseguiu esta época

- Na época passada tivemos uma boa prestação. Agora queremos fazer melhor. E o nosso primeiro objectivo é chegar à fase de grupos e depois procurarmos ir mais além.

Para preparar a campanha africana assim como o próximo Moçambola vai abrir as oficinas no próximo dia 6 de Janeiro. Em princípio a fase inicial de preparação não inclui saídas.

A garantia é de Barrarijo

Beira já busca

informações do adversário

O treinador do Ferroviário da Beira, Lucas Barrarijo, lembrou primeiro que nos sorteios não se escolhe os adversários, para depois sublinhar que desde que soube que deveria enfrentar os tanzanianos preocupou-se em procurar informações que ajudem a preparar a eliminatória.

- Estamos a trabalhar para saber tudo que for possível em relação ao nosso adversário. Não sendo possível deslocar começámos a procurar informação nesta fase usando a Internet.

Até agora a única coisa concreta que se sabe é que se trata duma formação que está no segundo lugar do seu campeonato e que o ano passado conseguiu esse feito de conquistar a Taça.

- Não conheço o adversário para além do dado que indica que está em segundo lugar e o seu campeonato está a decorrer. Temos uma ideia superficial do futebol tanzaniano, que tem vindo a evoluir, mas é difícil avaliar o nosso adversário partindo desse pressuposto, porque sabemos que hoje, com a abertura à entrada de muitos jogadores estrangeiros, pode ser uma equipa feita por jogadores de fora.

Lucas Barrarijo considera que o facto de ter mantido a estrutura da época passada pode ser um estímulo para se fazer mais e melhor, apesar de esperar dificuldades.

Para esta campanha o Ferroviário irá abrir as suas oficinas oficialmente no dia 3 de Janeiro, com a realização de exames médicos, estando o trabalho de campo previsto para o dia 4.

Texto de Atanásio Zandamela

Fotos de Arquivo

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Opinão

Publicidade