Razaque ajusta peças duma locomotiva competitiva

Por: Custódio Mugabe

Por Fotos de Jerónimo Muianga e CFM

J á se treinam sob as ordens de Daúde Razaque os três reforços estrangeiros contratados para a temporada 2019. Destes, dois são avançados (um nigeriano e um camaronês) e um médio (português). São, ao que soubemos, as últimas três últimas peças duma locomotiva que conservou sua base da época passada, sendo esse um factor motivacional quanto promissor para o novo maquinista, Daúde Razaque. Ele que sublinha o facto de os jogadores estarem empenhados e a interiorizar que ninguém tem um lugar garantido por antecipação. Quer dizer, o trabalho de cada um, semanalmente, é que vai determinar quem vai a jogo. – “Estamos a formar um plantel competitivo, fizemos alguns jogos que servem para nos ditar aquilo que será a equipa do Ferroviário em 2019. Não há onzes absolutos, não jogam nomes, joga quem está melhor, penso que ao longo da semana todos irão trabalhar para poderem entrar na equipa inicial”, projecta.

Leia mais...