Exige-se melhor articulação com clubes da capital

A Federação Moçambicana de Futebol, através do seu presidente, Alberto Simango Jr., já fala da necessidade de absover os técnicos que orientam a criançada, prometendo prover-lhes de formação básica.

Depois de uma longa maratona, chegou-se ao fim de mais um Torneio de Futebol Infanto-Juvenil, vulgo Bebec, que teve a particularidade de ser uma edição especial com a festa dos 30 anos da sua criação e celebrados de duas formas: primeiro com a homenagem de todos aqueles que de forma directa ou indirecta contribuíram para o seu surgimento e engrandecimento, desde os mentores ou fundadores, pioneiros, promotores, organizadores, antigos jogadores e no activo que dele despontaram, entre outros; segundo com a realização do próprio evento desde princípios de Dezembro até o último sábado, 20 de Janeiro.     

Chegados a esta fase e depois de um percurso longo e cheio de dificuldades próprias da conjectura económica actual, a Direcção da Juventude e Desportos da Cidade de Maputo (DJDCM) apela para uma maior articulação com os clubes para o melhor aproveitamento enquadramento dos talentos saídos do torneio.

O director do pelouro, Elias Wiliamo, diz que a instituição que dirige e a Comissão Técnica da Associação Bebe demonstraram mais uma vez a sua capacidade de realização e puderam, com pouco recursos, fazer as coisas acontecer.

– “Foram praticamente três meses de muita actividade. Tivemos muitos jogos de futebol em todos os bairros, realizamos a nossa Gala de Homenagem às figuras que se destacaram ao longo dos 30 anos do torneio e fechamos este ciclo com sucesso. Creio que, aliás tenho a certeza absoluta de que o balanço que fazemos é extremamente positivo”,anotou.

Salvador Nhantumbo