Falta de dinheiro e de profissionalismo colocam Desportivo de Mueda em risco

para uma colectividade que inspira ascensão ao Moçambola, principal competição futebolística do país. É que sofrendo mais uma falta, fica desclassificada da prova.

Depois do acolhimento da cerimónia de abertura do Campeonato Nacional de Divisão de Honra, eis que o Desportivo de Mueda pauta por defraudar todas as expectativas criadas em seu redor, desde os princípios desta temporada, primando por faltas de comparências aos jogos da competição em que, por iniciativa própria, surgiu como “padrinho”.

Primeiro, o representante do Planalto de Mueda “gazetou” ao jogo que devia ter realizado com o Ferroviário do Niassa, em Lichinga, alegadamente por falta de Meios financeiros para fazer deslocar a comitiva para o local do jogo. De acordo com Nurdine Rezuane, vice-presidente do Desportivo de Mueda, todas tentativas foram feitas, mas redundaram em fracasso.

– Quando nos deparámos com esta situação, lançámos um pedido de ajuda às entidades locais, mas não fomos bem sucedidos. A seguir, comunicámos a nossa dificuldades à Federação Moçambicana de Futebol, razão pela qual não sabemos se, de facto, foi-nos averbada a falta de comparência, ou ainda teremos a possibilidade de realização desta partida, numa data ainda a anunciar, disse Nurdine Rezuane.

César Langa