É sempre bom voltar à casa!

Talvez seja por isso mesmo que o clube decidiu chamá-lo de volta, desta feita para novas funções, as de treinador. Para já, os desafios passam por aprender para que no futuro atinja patamares invejáveis.

Foi em 2005 que Mambo chegou ao Costa do Sol ido do Textáfrica, primeiro campeão de Moçambique pós-independência, pelas mãos do malogrado Mário Esteves Coluna, ou simplesmente “Monstro Sagrado”. Nove anos depois decidiu experimentar novos ares, vestindo a camisola do Desportivo de Maputo, para no ano seguinte ingressar nas fileiras do Estrela Vermelha, também da capital do país.

Durante nove anos no emblema “canarinho”, Mambo conquistou um campeonato em 2007, tendo igualmente conquistado uma Taça de Moçambique e duas supertaças. Mas seria em 2015 que viria a dar um ponto final à sua carreira. E porque a vida não é feita só de futebol investiu seriamente nos estudos, tendo no ano passado terminado com êxito a licenciatura em Informática de Gestão pela Universidade WUTIVI-Unitiva.

Face à sua dedicação pela causa “canarinha” como jogador, eis que a direcção liderada por Amosse Chicualacuala e com a anuência de Nélson Santos, foi solicitado para fazer parte da equipa técnica. Para já, o desafio é aprender e, por via disso, atingir outros níveis. Boa sorte Dr. Mambo!

Ibraimo Assamo/Luís Muianga