Dólares da FIFA para FMF condicionados à auditoria

César Langa

Foto de Luís Muianga

Um milhão e cinquenta mil dólares é o valor que a Federação Moçambicana de Futebol já deveria ter recebido, para o exercício de 2015, mas que se encontra congelado, até que o organismo que gere o futebol nacional apresente o resultado global da auditoria referente ao ano de 2014.

A Federação Internacional de Futebol (FIFA), decidiu congelar os fundos que devia alocar à Federação Moçambicana de Futebol, tal como o faz com todos os outros seus filiados, ao nível do planeta, condicionando o seu desembolso à recepção do resultado da auditoria das contas globais e de todo as actividades desenvolvidas pela entidade que gere o futebol moçambicano.

O caso não está ao nível de desvio de fundos. E Moçambique não é um caso isolado das 209 federações filiadas na FIFA. Alberto Simango Jr declinou tecer comentário sobre a actual situação financeira da federação, convidando que se deixe a auditoria fazer o seu trabalho. Trata-se de um novo modelo de relacionamento entre a FIFA e as federações nacionais desta modalidade que, para além das contas, inclui a obrigatoriedade de se ter um Secretário-Geral e um Director Técnico, com contrato de quatro anos.

 De acordo com Zelkifli Ngoufonja, gestor sénior de Programas de Desenvolvimento para África, na FIFA, esta informação devia ter sido canalizada ao organismo que tutela o futebol planetário, até dia 31 de Março do corrente ano, antes de Feizal Sidat e seu elenco saírem da federação.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Próximo Jogo

Publicidade