Festa dos 40 anos com os SWAZIS

É exactamente isso, não houve Moçambique-Angola nas comemorações dos quarentas anos da independência nacional. Confirmada como sendo a selecção que iria abrilhantar as festividades do quadragésimo aniversário da independência nacional, os antigos Palancas Negras optaram por não viajar aMaputo, deixado os ex-Mambas incrédulos e sem justificação plausível da sua ausência, devendo reconhecer no entanto que por alguma razão os angolanos devem ter optado pelo não!

SWAZILÂNDIA NO LUGAR DE ANGOLA

Não veio Angola mas esteve Swazilândia. Aliás, este país vizinho que tem sido, nos últimos tempos, o pronto-socorro dos veteranos quando o assunto é arranjar um adversário internacional com quem possam medir forças no ofício que outrora foi a actividade profissional da maioria dos atletas que compõem a selecção de veteranos.

Foi uma mescla de gerações, desde os Ângelo (autor dos dois dos três golos de Moçambique e outro foi marcado por Jossias), Geraldo Conde, Tico - Tico, entre outros que ontem mostram que nem o tempo apaga o que de bom, cabalmente, souberam fazer dentro dos relvados. Destacando no onze inicial dos ex-Mambas a inclusão do Primeiro-ministro, Carlos Agostinho do Rosário, que sempre que pôde tem sido uma constante nos jogos realizados pelos veteranos.