Jogadores do Moçambola ignoram riscos e disputam torneios de bairro no defeso

Uma vez mais, a época futebolística chegou ao fim e abre espaço para os famosos torneios de bairro, para onde um bom número de jogadores do Moçambola, ao que parece com ainda muita fome de bola, junta-se aos populares para as disputas sob várias condicionalismos em caso de vitória ou participação.

No campo chamado Karzozo, no bairro de Mavalane A, os federados encontram outros estímulos como dinheiro que é concedido por alguns mecenas, que também não descuram de oferecer bebidas aos atletas, maioritariamente de equipas que disputam a nossa maior prova futebolística, o Moçambola. Tendo em conta a competição propriamente dita, a entrega dos jogadores aos lances é quase sempre ríspida. Há situações em que a agressividade é a nota dominante, chegando-se a vias de fato.

Neste recinto do bairro de Mavalane, os espectadores posicionam-se à sua volta, onde nunca faltam bebidas à venda por algumas senhoras, raparigas e até crianças, que fazem o aproveitamento da situação para amealhar algum dinheiro para o seu sustento. Num dos cantos das balizas, com um perímetro maior, ficam estacionados carros com música bem alta, com colunas de grande amperagem, mormente antes e no final do jogo, tornando o ambiente mais atractivo, como também de convite a outro tipo de actividades.

Numa das laterais passa uma rua (na outra fica a vedação de uma escola), sempre frequentada por carros que transitam, mesmo no período em que decorrem os jogos, sem a mínima observância da velocidade a aplicar em zonas residenciais.

JOGADORES DE PRIMEIRA NO AREAL

Odesafio escalou aquele local um pouco antes de uma partida iniciar. Alguns dos tais jogadores reconheceram os elementos da nossa equipa de Reportagem, mas mesmo assim não se fizeram de rogados e, quando o apito soou, o FC Mateque, de amarelo e preto, onde alinharam jogadores como Butana (ex-Ferroviário de Maputo), Zabula, Betinho (Maxaquene), Jair (o reformado), Manuelito I, Alvarito (Costa do Sol), entrou em campo para enfrentar a outra equipa de nome Mbuva, com jogadores trajados a vermelho, como João Mazive (Costa do Sol), Maninho (Ferroviário de Quelimane), Joca (HCB), Skaba (Ferroviário de Nampula), Arnaldo (ex-Matchedje) e Fredy (Desportivo). 

(Acompanhe a reportagem no jornal impresso desta semana).