DEPOIS DO VANDALISMO…

Por: GILBERTO GUIBUNDA
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Foto de Arquivo

A normalidade! Voltou a normalidade na Zona Norte, depois do espectáculo barato projectado na semana finda em Pemba pelos jogadores do Ferroviário sobre o árbitro da partida, o que de certa forma mais uma vez colocou o nome do país no Guinness book por más razões: violência nos relvados de futebol. Autores que teimam em mudar para a pacificação do futebol não podem fazer parte desta modalidade, que dada a sua importância é aglutinadora da unidade nacional. Os apelos à não-violência vieram de diferentes quadrantes, desde o Ministério da Juventude e Desportos, através da respectiva ministra, Nyeleti Mondlane até à Federação Moçambicana de Futebol (FMF), que mais uma vez volta a pedir aos actores e gestores do futebol a observância do fair-play. Mas para este último caso haverá mão pesada da FMF sobre os responsáveis, como garantiu Filipe Johane, secretário-geral do organismo. Aliás, Miguel Jamisse, presidente da Ferroviário de Pemba, disse já terem sido identificados os três jogadores envolvidos no acto e que internamente decorre o processo de instauração de um processo disciplinar, o que não se exclui a possibilidade de expulsão da colectividade dos referidos atletas. Outrossim, o dirigente locomotiva espera que a FMF averigue o caso de forma profunda de modo a encontrar as devidas razões que motivaram a reacção violenta dos seus jogadores sobre o árbitro da partida. E porque os três jogadores estão a contas com castigo não puderam alinhar na vitória gorda dos locomotivas de Pemba sobre a União Desportiva da Ilha de Moçambique, em partida da 5ª jornada ontem disputada.

Leia mais...