Aceitei o convite porque gosto de apostas

É lá onde se encontra a trabalhar com o objectivo claro de devolver a equipa ao convívio dos grandes. Uma missão para a qual diz estar preparado, até porque sempre foi um homem de apostas.

Ainda numa fase de ambientação com os seus novos pupilos, Faife já traças as perspectivas daquilo que pretende na presente temporada, alertando, por outro lado, que tudo só será possível caso haja o envolvimento de todos. Sabem qual é o objectivo do Faife? É qualificar o Incomáti para o Moçambola!

- Que realidade encontrou no Incomáti?

- Bem, acho que peguei a equipa numa fase menos boa. Por aquilo que eu vi pela primeira vez no jogo em que fez com o Costa do Sol referente à Taça de Moçambique eu achei que tinha material humano suficiente para trabalhar, embora achasse que há necessidade de limar algumas arestas. Tenho certeza que ao andar do tempo e com os jogadores que chegaram nessa nova janela de transferências as coisas irão se encaixar. O importante é continuarmos a trabalhar e creio que com esses jovens temos capacidades para ombrear com todas as equipas do campeonato e lutarmos para aquilo que são os nossos objectivos, que passam por qualificar a equipa a primeira divisão.

LEIA A ENTREVISTA NO E-PAPER DO DO JORNAL