Segunda derrota que pode custar o apuramento para a fase final

do Inter que tocou na mão de Francisco Macaringue, num lançamento triplo que acabou sendo certeiro e que podia mudar a história do jogo. O Ferroviário perdia com um ponto de diferença e caso se assinalasse a falta, Francisco beneficiava-se de um lançamento livre que podia igual a partida, mas o arbitro entendeu que não houve falta e deixou passar. Aliás, Chico foi o melhor marcador do Ferroviario com 15 pontos.

É a segunda derrota consecutiva dos locomotivas da capital, depois de, na primeira jornada ter perdido com o homónimo da Beira.

Entretanto, a história do jogo se resumiu na ineficácia dos jogadores do Ferroviário de Maputo, sobretudo nos lançamentos livres. A equipa podia ter resolvido a partida sem se queixar desta falta acima referenciada mas, os pupilos de Milagre Macome desperdiçaram inúmeros lançamentos livres, e quando se joga com equipas angolanas já se vislumbra vida difícil. E foi assim no último período, os angolanos ligaram o turbo ao conseguir virar o resultado que em períodos anteriores vinha sendo controlado e assegurado pelos locomotivas. Mas também veio o de cima o que tinha ocorrido no jogo anterior do Ferroviário de Maputo contra o seu homónimo da Beira. O cansaço dos jogadores na ponta final do jogo. De facto, este foi um jogo de muito contacto físico e  bastante corrido, e quem se aguentou foi naturalmente o Inter que saiu vitorioso e complicou as contas do Ferroviário de Maputo no apuramento para a fase final.

O Ferroviário volta a jogar às 10:00 horas desta segunda-feira diante da equipa tsuana, os Troopers.

Gilberto Guibunda, em Gaberone com o patrocínio do CFvM.