Interesses dos candidatos da FIDE por Moçambique são convergentes

Por: SALVADOR NHANTUMBO
Fotos de Arquivo

A Direcção da Federação Moçambicana de Xadrez (FMX) recebeu há dias convites de duas das listas candidatas à presidência da Federação Internacional da modalidade (FIDE), cujas eleições se realizam em Setembro. O primeiro convite veio do russo Arkady Dvorkovich, que convidou recentemente o presidente da FMX, Domingos Langa, para um encontro na vizinha África do Sul, tendo como propósito a formalização do interesse pelo apoio de Moçambique. A lista de Arkady Dvorkovitch é curiosamente suportada pelo actual presidente da FIDE, o também russo Kirshan Iljumonov, que cumpre o segundo (último) mandato.

Antes, a FMX recebeu o convite da lista liderada pelo inglês Nigel Short, por sinal ex-campeão mundial de xadrez, e que escalou Moçambique em princípios desde ano com o propósito de namorar o voto da FMX. A propósito da campanha de Nigel Short, Domingos Langa devia seguir para a Zâmbia nos próximos dias, mas descartou essa possibilidade. Na corrida para as eleições da FIDE está igualmente o grego Georgios Makropoulos.

Na entrevista que se segue, o secretário-geral da FMX, Mateus Viageiro, fala da convergência de interesses dos candidatos por Moçambique.
MATEUS VIAJEIRO FALA DA CONVERGÊNCIA DE INTERESSES
– A que propósito surge este convite e que assuntos foram abordados na África do Sul?

Leia mais...