E ENTREVISTA

Temos uma equipa para ganhar tudo

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Chegado a Maputo na tarde de sexta-feira, Litos Carvalha dirigiu, no dia seguinte, o primeiro treino da sua equipa, num desfile de novas caras como Zainadine, Liberty, Imo, Rachide, Kamwendi, além dos regressados Simplex e Reginaldo. O técnico da Liga Muçulmana está ciente de que as outras equipas se reforçaram bem mas, pela equipa à sua disposição, sente que tem uma equipa para ganhar tudo.

O técnico português viajou de Portugal para o Cairo para um curso obrigatório, ministrado pela CAF, mas não esteve presente no último dia do mesmo, uma vez que foi dispensado pelos responsáveis do órgão máximo do futebol africano, a seu pedido, para poder orientar o primeiro treino da sua equipa, num dia de chuva persistente, mas sem inibir a rapaziada de se animar e de manifestar-se ávida de alcançar altos voos em 2013. Com o plantel que tem, Litos enche a boca para dizer que pode ter um ano de muitas alegrias.

– Espero acima de tudo que este seja um ano de sucesso e que também sejamos mais fortes. Felizmente, conseguimos manter a base do ano passado e contratamos jogadores que achamos que eram necessários para reforçar alguns sectores da equipa para este ano. Mas é importante dizer que não foi fácil nos separarmos de outros jogadores, que foram importantes e que nos ajudaram a fazer um trabalho excelente, contribuindo para estabilizar a equipa e conquista da Taça de Moçambique. No entanto, era necessário fazer algumas remodelações na equipa. É assim em todo o mundo. Neste momento, sinto que temos uma equipa para ganhar tudo. As outras equipas também fizeram bons planteis e têm as mesmas intenções que nós. Mas este ano temos de ganhar o título e conseguir uma boa performance nas competições africanas, manifestou Litos.

Mais adiante da nossa conversa, o técnico “muçulmano” disse ser possível chegar à fase de grupos na Taça CAF, o que nunca aconteceu no clube, que nunca passou da primeira eliminatória.

– Seria mais um feito para a Liga Muçulmana. Se conseguirmos, faremos parte da história do clube. As coisas não vão ser fáceis, mas estamos preparados para enfrentar todos os confrontos. Tenho jogadores de grande carácter que vão ajudar a superar a distância que me separa da minha família, mas também com capacidade de fazer um bom trabalho que, no fim, penso, seja coroado de êxitos, disse o técnico.

 

GABERONE UNITED

É FORTE FISICAMENTE

 O Gaberone United, do Botswana, adversário da Liga Muçulmana na pré-eliminatória, está em competição, com o seu campeonato a movimentar mais de dez jornadas, o que, à partida, confere mais ritmo, uma vantagem teórica sobre dos “muçulmanos” que acabam de entrar para a pré-época. Os “muçulmanos” tiveram o cuidado de enviar Daúde Razaque, membro da equipa técnica, para assistir a um jogo do Gaberone United, tendo gravado outros dois jogos referentes ao campeonato do Botswana, o que possibilita Litos tirar algumas ilações sobre o seu oponente.

– É uma equipa forte em termos físicos e consegue colocar muitas unidades no processo ofensivo, mas também tem algumas lacunas. Agora, não posso dizer se essas lacunas já foram emendadas ou não. Vamos continuar a ver os vídeos de que dispomos para ver se conseguimos conhecer com mais profundidade o nosso adversário, referiu Litos, acrescentando que o essencial será entrar em campo e fazer sempre o seu melhor para ganhar os jogos. 

Com Zainadine Júnior, Liberty, Imo, Rachide, Hélder Pelembe, este último em testes na África do Sul, a Liga Muçulmana tem a equipa mais forte e equilibrada, deixando Litos satisfeito com a matéria-prima de que dispõem, mas considera que o período da pré-época poderá ser fundamental formar um bom grupo coeso.

– Estou satisfeito pelos jogadores que tenho, pelas condições que nos foram oferecidas, mas durante a pré-época vamos tirar melhores ilações sobre a qualidade dos jogadores que foram contratados. Espero, sinceramente, que eles consigam integrar-se o mais rapidamente possível, o que poderia ser importante para podermos construir uma boa equipa logo cedo, precisou Litos.

Na época transacta, o meio-campista Carlitos, transferido para o Maxaquene, foi capitão da equipa juntamente com Cantoná, Momed Haji e Miro. Este ano não haverá mudanças, pois só Carlitos deixou a equipa.

– Continuamos a ter o Cantoná, Momed Haji e Miro, e fui umas das pessoas que o persuadiu o Cantoná a reconsiderar a sua posição de abandonar o futebol. Felizmente, ele aceitou esse meu pedido e voltou a estar connosco. Foi um jogador que na época passada teve uma grande prestação e vai ser um elemento fundamental na equipa, pelo que nada se vai alterar em relação aos capitães da equipa, esclareceu.

 

 

 

 

REFORÇOS ANSIOSOS

POR AJUDAR A EQUIPA

 

O defesa internacional Zainadine Júnior, que se formou no Desportivo, clube onde cresceu como atleta até chegar à selecção nacional, foi um dos primeiros jogadores a chegar ao campo da Liga Muçulmana, palco para onde fora marcado o primeiro treino da presente temporada. Falando à nossa Reportagem, Zainadine não escondeu a emoção de estar no novo clube.

­– Espero que tudo corra bem neste clube. Vou dar o meu máximo para ajudar a Liga Muçulmana a conseguir atingir os seus anseios. Estamos a começar a trabalhar hoje e o grupo vai-se conhecendo. Tenho a certeza de que vamos criar uma boa equipa e fazer uma boa época, disse Zainadine, acrescentando igualmente que temos jogos internacionais com uma equipa que é desconhecida, mas que está em competição e esse facto dá-lhes mais jogos nas pernas. Apesar disso, tudo faremos para conseguir resultados que nos possibilitem passar a eliminatória, o que poderá dar um certo alento para enfrentarmos outras competições.

Por seu turno, o zimbabweano Liberty, uma das principais unidades do Maxaquene na época passada para a conquista do campeonato, reforça a Liga Muçulmana, recheada de grandes valores em todos os sectores. O ex-jogador “tricolor” pensa que será sempre possível encontrar espaço para dar o seu contributo na equipa “muçulmana”.

– Estou num clube com ambições bem altas. A equipa já tinha muitos bons jogadores no passado e este ano voltou a reforçar bem. Vamos ser obrigados a dar o nosso máximo para merecer a confiança do técnico, afirmou o zimbabweano, sem se esquecer de fazer menção à importância que o Maxaquene representa na sua carreira. É um clube importante e também devo dizer que saí do Maxaquene para estar aqui, mas não deixei de gostar daquele clube, onde pude viver bons momentos, fazendo, igualmente, muitas amizades, que vão ficar marcadas para sempre, disse.

Outro nome que salta à vista na lista dos jogadores para 2013 é Reginaldo, contratado ao Maxaquene na época de 2011, mas que não conseguiu espaço na Liga Muçulmana de Artur Semedo, sendo desta feita cedido ao Costa do Sol, onde Diamantino Miranda o utilizou com frequência, contribuindo para elevar os seus índices de confiança e da sua qualidade futebolística. Reginaldo foi, deste modo, um pedra fundamental na manobra ofensiva dos “canarinhos”, que em 2012 conseguiram melhorar a classificação em relação ao Moçambola anterior.

– Estou de volta ao clube e espero merecer a confiança dos técnicos para poder jogar e ajudar a equipa nos seus desejos. Sinto-me na obrigação de trabalhar mais para poder singrar. Estive um período da época passada no Costa do Sol, onde joguei mais vezes. No Costa do Sol, lutámos por melhores resultados e conseguimos chegar à final da final da Taça de Moçambique, que infelizmente não ganhámos. Tenho de agradecer a forma como fui recebido e tratado naquele clube, afirmou o regressado jogador.

 

 EX-JOGADORES DO FERROVIÁRIO

 Imo Pilale e Rachide

querem titularidade

 Sem muitas palavras, mas demonstrando muita confiança no seu futuro, Rachide, que representou o Ferroviário de Maputo em épocas anteriores, acredita que a mudança de ares pode vir a ser importante para contribuir para o seu crescimento como jogador, referindo que a Liga Muçulmana lhe dá oportunidades de conseguir muitos êxitos.

– Espero fazer coisas boas este ano. Estou num bom clube, onde tenho novos colegas, um novo ambiente, além de um novo treinador, que devo convencer com muito trabalho que sirvo para esta equipa. Vou trabalhar e lutar todos os dias para conseguir a titularidade, manifestou o ex-jogador “locomotiva”.

Outro reforço dos “muçulmanos”, também saído dos “locomotivas” de Maputo, é o internacional Imo Pilale, que prefere ter um discurso mais cauteloso e colocar tudo nas mãos de Deus.

– Espero que eu seja uma unidade importante para o clube. Vou dar o meu máximo para que tudo corra de feição. Não posso dizer taxativamente que serei titular, mas vou fazer de tudo para o conseguir, expressou-se Imo.

  

INTERNACIONAL PELO MALAWI

 

Kamwendi é o último

reforço dos muçulmanos

 

Como nos habituou em anos transactos, a Liga Muçulmana não se limitou a reforçar a sua equipa com jogadores que actuavam intramuros, tendo contratado o estratega da selecção do Malawi, Joseph Kamwendi, de 25 anos de idade, que espera conseguir convencer Litos do seu potencial.

Com Joseph Kamwendi sobem para três os jogadores de nacionalidade malawiana. Os outros dois são Zicco e Simplex, também com titularidade na selecção do seu país.

Refira-se que o guarda-redes, que regressou aos “muçulmanos” depois de uma época brilhante no Vilankulo, mereceu a distinção de guarda-redes menos batido do Moçambola.

 

 

ALÉM IRMOS MAIS LONGE NAS AFROTAÇAS

 

Queremos revalidar

a Taça e ganhar o título

 

- Rafik Sidat, presidente da Liga Muçulmana

 

Presente na primeira sessão de treino, com outros dirigentes do clube, como Sheik Cássimo David, Mahomed Makda e Shocate, o presidente da Liga Muçulmana, Rafik Sidat, afirma que o presente ano pode ser de grandes conquistas.

– Como sempre, o nosso objectivo é tentar fazer melhor. Criamos as melhores condições possíveis para conseguirmos ganhar em todas as provas em que vamos participar. Este ano, à semelhança daquele que era nosso desejo no passado, vamos tentar ir mais longe nas Afrotaças, referiu.

Aquele dirigente afirma que, pela sorte ditada pelo sorteio da CAF, sente que a Liga pode passar a eliminatória com a equipa do Botswana e, se tal acontecer, espera também uma melhor sorte contra os nigerianos, na eliminatória seguinte.

– Estamos cientes de que no futebol tudo é possível. Perdem-se jogos com equipas teoricamente mais fracas. Vamos estar mais atentos para que não sejamos surpreendidos. Reforçamos a equipa conforme o pedido do treinador e espero que se consigam alcançar bons resultados. No ano passado, o lema era “rumo ao tri” e não conseguimos, mas este ano queremos revalidar a Taça de Moçambique e conquistar o título, afirmou.

 

Texto de Joca Estêvão

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Fotos de Inácio Pereira

  

 

  

 

Publicidade
Subscreve se no Jornal Digital

Moçambola 2019

Pos Equipe J V E D GC GM Pts DP
1. C. do Sol 30 20 6 4 25 56 64 +31
2. UD Songo 30 19 3 8 29 47 59 +18
3. Fer. Maputo 30 13 9 8 22 34 43 +12
4. Fer. Beira 30 12 9 9 25 34 43 +9
5. Fer. Nacala 30 12 5 13 31 28 40 -3
6. ENH 30 10 11 9 30 29 37 -1
7. LD Maputo 30 11 7 12 36 30 37 -6
8. Textafrica 30 11 7 12 30 22 37 -8
9. Des. Maputo 30 10 10 10 29 35 36 +6
10. Incomáti 30 10 10 10 31 29 36 -2
LD Maputo 5 : 4 Des. Maputo
Têx. Púnguè 1 : 1 Nacala
B. de Pemba 1 : 2 ENH
Chibuto 1 : 0 UD Songo
Fer. Nacala 1 : 0 Fer. Beira
Fer. Nampula 2 : 1 C. do Sol
Maxaquene 1 : 0 Fer. Maputo
Textafrica 1 : 1 Incomáti

Director: Almiro Santos
Chefes da Redacção:
Reginaldo Cumbana e Gil Carvalho

Desafio é um Jornal desportivo, produto da Sociedade do Notícias.

O Jornal esta disponível em formato físico impresso, o mesmo pode ser lido em formato electrónico.

Play Store

AppStore

SNLogo2

Propriedade da Sociedade do
Notícias, SARL
Direcção, Redacção e Oficinas
Rua Joe Slovo, 55 • Cx.Postal 327
E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
( Tel's: 21320119 / 21320120 )
Script:
Topo
Baixo