E ENTREVISTA

Queremos voltar a ser parte activa da festa do Moçambola

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Cinco anos depois, a província de Maputo não terá nenhum representante no principal Campeonato Nacional de Futebol (Moçambola) – já teve duas em 2011 – após a despromoção do Incomáti do Xinavane, aliado ao facto de o Djuba FC não ter passado no exame da Poule de Apuramento. É uma situação que entristece a província e que o director provincial da 

Juventude e Desportos de Maputo, Inocêncio Paulino, quer ver alterada o mais rápido possível, porque, segundo sustenta, a não acontecer a província de Maputo continuará servindo de “muleta” para a capital do país.

Para este, não basta que o Moçambola escale a província de Maputo através do uso de três dos campos localizados nesta parcela do país por equipas filiadas à Associação de Futebol da Cidade de Maputo - Estádio da Machava pelo Ferroviário de Maputo, o da Liga Muçulmana pelo seu proprietário e o do ex-Atlético pelo Maxaquene.

- Mais do que assistirmos o Moçambola na nossa província, queremos ser parte activa através de equipas locais. Infelizmente, em 2013 não teremos nenhuma formação desta província no campeonato maior.

Inocêncio Paulino entende que tal situação não vai acontecer por ter faltado apoio ou incentivo, pois o Governo Provincial deu o auxílio possível.

- Nós apoiámos financeiramente a Associação Provincial de Futebol de Maputo com o intuito de ver se realizava um “Provincial” mais equilibrado e atractivo, em função da premiação que melhorámos, tudo para ter um campeão melhor preparado para a “poule”. Infelizmente, mesmo com o nosso apoio o nosso representante (Djuba FC) não conseguiu os resultados esperados.

Como se não bastasse, o Incomáti de Xinavane, apesar de ter tido apoio do Governo, também não conseguiu a manutenção.

- Apoiámos como pudemos ao Incomáti, mas 2012 não era o nosso ano e acabámos ficando sem nenhuma equipa para o Moçambola de 2013. Agora temos que arregaçar as mangas para em 2014 regressarmos com uma equipa. 

Quando questionado sobre como espera atingir essa meta, o nosso entrevistado disse que o Governo continuará a dar o seu apoio técnico e financeiro.

- Continuaremos apoiando na medida do possível. Sabemos que será difícil, pois a equipa que chegar à “poule” terá provavelmente uma concorrência forte do Desportivo, que é um colosso, mais teremos que nos preparar melhor. Iremos continuar a apoiar à Associação para ter um “Provincial” mais equilibrado e não deixaremos desamparado o campeão quando for disputar a “poule”. Gostaria de apelar às outras associações para que soubessem entregar os seus planos atempadamente de modo a beneficiar, na medida do possível, do nosso apoio. O que acontece é que muitos entregam com competições à vista, o que é complicado.

 

TRANSFORMAR ASSOCIAÇÕES

DA CIDADE EM PROVINCIAIS

Inocêncio Paulino afirma que no ano anterior o Governo apostou no apoio ao desporto a partir da base com esperança de aumentar a competitividade a partir do distrito até chegar à província.

- Se tiver acompanhado perceberá que movimentamos mais desporto na base, ou seja, a partir do distrito. Acreditamos que aumentando a competitividade na base teremos equipas mais organizadas no “Provincial” e se assim for nas competições nacionais teremos melhores resultados, tal como aconteceu em 2012, em que cito como exemplo a conquista do Campeonato Nacional de Futebol Feminino. 

Por outro lado, disse que um dos grandes trabalhos a fazer neste ano será o monitoramento das actividades das associações provinciais e acima de tudo a transformação das associações de cidade em associações de nível provincial.

- Na cidade da Matola temos muitas associações desportivas, mas quando falamos da província aí denotamos muitos problemas. É por isso que estamos desde ano passado a trabalhar no sentido de transformar-se as associações que são de carácter de cidade em provinciais.

De acordo com Paulino, no dia que se conseguir isso a província terá um leque maior de escolha.

- Neste momento quando se fala de alta competição resume-se praticamente à cidade da Matola, mas há desporto em todos os distritos e certamente há talentos, mas não há desporto organizado.

Noutro desenvolvimento, Paulino destacou o facto de a província ter ganho no Festival Nacional de Jogos Tradicionais o primeiro lugar na categoria de n’txuva em femininos e o segundo em muravarava (masculinos).

 

KHAVELA MAPUTO EM CRESCIMENTO

O projecto “Khavela Maputo”, através do qual o Governo pretende reverter o actual estágio de desenvolvimento do desporto, está a solidificar-se, com a particularidade de estar a formar técnicos e agentes desportivos.

- No âmbito deste projecto formámos treinadores das modalidades abrangidas, como futebol (Nível I), voleibol, basquetebol e andebol. Mas queremos caminhar para uma fase em que teremos treinadores de futebol com Nível IV a trabalhar neste projecto, pois acreditamos que com técnicos qualificados melhor poderemos ter qualidade na formação, que é o objectivo do “Khavela Maputo”.

Outra acção desenvolvida pela Direcção Provincial que Inocêncio destaca é o apoio à realização de vários torneios, nomeadamente de futebol (50), andebol (12), basquetebol (14), voleibol (14), atletismo (cinco) e xadrez (sete).

Estas formações permitem que os 32 centros deste projecto continuem a funcionar em pleno, movimentando 3194 praticantes nos seguintes distritos: Magude (2), Manhiça (5), Marracuene (3), Matola (5), Moamba (5), Boane (5), Namaacha (5) e Matutuíne (2).

Paulino destaca neste projecto o envolvimento que se assiste das esposas dos administradores distritais.

- Conseguimos tornar as esposas dos administradores ou os maridos das administradoras em madrinhas ou padrinhos desta iniciativa. O exemplo mais feliz é o de Matutuíne, onde a esposa do administrador tem trazido vários apoios ao projecto.

Publicidade
Subscreve se no Jornal Digital

Moçambola 2019

Pos Equipe J V E D GC GM Pts DP
1. C. do Sol 30 20 6 4 25 56 64 +31
2. UD Songo 30 19 3 8 29 47 59 +18
3. Fer. Maputo 30 13 9 8 22 34 43 +12
4. Fer. Beira 30 12 9 9 25 34 43 +9
5. Fer. Nacala 30 12 5 13 31 28 40 -3
6. ENH 30 10 11 9 30 29 37 -1
7. LD Maputo 30 11 7 12 36 30 37 -6
8. Textafrica 30 11 7 12 30 22 37 -8
9. Des. Maputo 30 10 10 10 29 35 36 +6
10. Incomáti 30 10 10 10 31 29 36 -2
LD Maputo 5 : 4 Des. Maputo
Têx. Púnguè 1 : 1 Nacala
B. de Pemba 1 : 2 ENH
Chibuto 1 : 0 UD Songo
Fer. Nacala 1 : 0 Fer. Beira
Fer. Nampula 2 : 1 C. do Sol
Maxaquene 1 : 0 Fer. Maputo
Textafrica 1 : 1 Incomáti

Director: Almiro Santos
Chefes da Redacção:
Reginaldo Cumbana e Gil Carvalho

Desafio é um Jornal desportivo, produto da Sociedade do Notícias.

O Jornal esta disponível em formato físico impresso, o mesmo pode ser lido em formato electrónico.

Play Store

AppStore

SNLogo2

Propriedade da Sociedade do
Notícias, SARL
Direcção, Redacção e Oficinas
Rua Joe Slovo, 55 • Cx.Postal 327
E-mail: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
( Tel's: 21320119 / 21320120 )
Topo
Baixo