Mexer foi o mais utilizado na diáspora

Por: ATANÁSIO ZANDAMELA
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Fotos de Arquivo
 
Mexer, que acaba de trocar o Rennes pelo Bordeaux, foi o jogador moçambicano mais utilizado dos que actuam na diáspora analisados pelo desafio. O defesa moçambicano foi quem teve mais motivos para sorrir durante a época 2018-2019, porque para além de ter mudado de clube foi determinante na conquista da Taça da França pelo seu anterior “team”. Durante a temporada que terminou, para muitos, Mexer fez um total de 43 jogos (3754 minutos) divididos entre a Ligue 1, em que disputou 29 encontros, Taça da França, com cinco, Taça da Liga, com dois e, o mais importante, a Liga Europa, com sete, sendo o moçambicano com mais jogos nesta competição numa só época. O internacional moçambicano marcou ainda dois golos na época, sendo um mais importante, por ter asse gurado o empate que valeu depois a conquista da Taça da França frente ao poderoso PSG. Reginaldo Faife, que também conquistou a Taça na Albânia numa final em que marcou o golo da vitória, surge em segundo com 3162 minutos de utilização, numa temporada em que fez 15 golos. O outro destaque da época é Zainadine Jr., terceiro mais utilizado (2970 minutos) dos moçambicanos na diáspora, eleito futebolista da época do Marítimo na edição de 2019 da gala dos “verde rubros” da I Liga Portuguesa. O central, que chegou ao Marítimo em Janeiro de 2017, realizou 33 jogos em 2018- 2019 e apontou um golo, tendo sido ainda o vencedor da categoria de melhor defesa.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Opinão

Publicidade