Lukman é um bom padrinho

Se é que João Figueiredo ainda estava à procura de um padrinho para marcar a sua estreia no comando técnico do Maxaquene e no seu regresso ao futebol depois de um período sabático, então Lukman é um bom padrinho, pois na tarde ontem carregou os “tricolores” para a final da segunda edição da Taça da Liga BNI, ademais contribui para que João Figueiredo tivesse uma estreia airosa.

Assumindo o estatuto de um colosso do futebol moçambicano e na qualidade de anfitrião o Maxaquene entrou mandão no jogo, criando nos minutos iniciais algumas jogadas de perigo a partir da intermediária, ainda que não conseguisse violar a baliza à guarda de Victor.

Longe de ser um mero espectador o Ferroviário de Nacala apresentava-se mais aberto, considerando que não se limitava apenas a defender, o que até certo ponto fazia com a partida fosse apetecível.

Ibraimo Assamo/Luís Muianga