Empate seria justo

Por: BERNARDO CARLOS

A equipa caseira entrou pressionante e como resultado logo aos dois minutos surgiu o golo por intermédio de Luís Miquissone, que deferiu um remate no interior da pequena área após passe de Amadou. Porque estava a jogar a favor do vento, a UD Songo foi crescendo, com jogadas certeiras, fustigando os “locomotivas” de Nacala, que não encontravam espaço para contrariar o caudal ofensivo dos “hidroeléctricos”. Volvidos 20 minutos os jogadores do Ferroviário de Nacala se concentraram, aparecendo com frequência no reduto mais recuado do Songo. Contudo, numa jogada de contra-ataque a formação da casa elevou a contagem para duas bolas sem resposta, com golo de Banda, resultado com que se foi para o intervalo. Veio a segunda parte com o Ferroviário de Nacala um pouco mais atrevido, obrigando os donos da casa a defender-se, baixando as linhas. O recuo do Songo permitiu aos “locomotivas” reduzirem a desvantagem, aos 58 minutos, com golo de Elias.

Leia mais...

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Opinão

Publicidade