GOLO DE PELEMBE DISFARÇA ALTOS NÍVEIS DE ANSIEDADE

Por: Joca Estêvão
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Foto de Victor Marrão

À entrada para a vigésima oitava jornada a União Desportiva do Songo estava em vantagem de três pontos sobre o Ferroviário de Maputo, o seu único adversário na corrida à conquista do título de campeão nacional e uma vitória era suficiente para chegar ao título, caso os locomotivas perdessem na recepção ao Textáfrica do Chimoio. Por seu turno, o ENH tinha a missão difícil de contrariar o favoritismo dos hidroeléctricos, tendo em conta que ainda não tem a sua situação regularizada na manutenção.

Curiosamente, foi a equipa do ENH que entrou mais atrevida no jogo, enquanto o Songo ensaiava as melhores formas de esboçar o ataque e romper a defesa contrária. No entanto, os hidrocarbonéticos, apesar da vontade, não materializavam as intenções. Laque, sobretudo, era um jogador inconformado, mas esteve desamparado.

Aos onze minutos veio o golo dos donos da casa. Um defesa do ENH tenta o corte perto da sua área e sofre a falta de Hélder Pelembe, mas não assinalada. A bola sobrou para Mário Sinamunda, que foi empurrado por um contrário e Aníbal Armando apontou a marca dos “onze metros”. Chamado a cobrar a grande penalidade, Hélder Pelembe levou a bola a entrar para um lado e Joaquim a cair para o lado oposto.

Leia mais...