COM BRUNO É MAIS FÁCIL

Por: Atanásio Zandamela
Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Fotos de Luís Muianga
 
No dia em que recebeu a premiação mensal da Zap, Bruno resolveu o jogo para o Maxaquene contra o Costa do Sol com um golo aos 86 minutos, na conversão de uma grande penalidade. O esquerdino, que na primeira parte havia proporcionado uma grande defesa a Guirrugo, garantiu mais um triunfo tricolor, desta feita diante de um Costa do Sol que mantém a sina de não vencer dois jogos consecutivos neste Moçambola. Assistiu-se, sim, a um encontro de grandes, disputa pelo controlo do esférico no miolo do terreno que propriamente de busca de situações de golos, até porque notou-se claramente que os artistas quando tivesse o esférico não sabiam o que fazer com ele, pois jogava se mais no meio-campo.  Com jogo mastigado – clássico de nome – muito disputado no miolo mas sem muitas situações claras de golos, à excepção de uns dois lances, um para cada lado, só depois dos 30. Primeiro foi por Mbulo, que surgiu no onze em detrimento do capitão Isac, com a mais flagrante de todas quando num lance em que a defensiva tricolor ficou à espera de um hipotético fora de jogo a bola chegou ao regressado atacante malawiano, que complicou o fácil, tentando rematar com jeito numa situação que só precisa de colocar o pé e com isso o esférico acabou desviado por um defensor contrário quando Zacarias já estava batido, isso aos 33 minutos. E a fechar a primeira parte em que o Costa do Sol esteve melhor que o Maxaquene foi Bruno que recebeu o esférico próximo da área canarinha. Trabalhou bem com o pé esquerdo e com o direito, que não é o seu melhor, rematou para defesa segura de Guirrugo.