ENERGIA DA HCB MELHOR QUE GÁS NATURAL

A União Desportiva do Songo, sob batuta de Nacir Armando, impôs sábado passado uma derrota caseira ao ENH de Vilankulo, por uma bola sem resposta, num jogo em que as cargas positivas da energia de Cahora Bassa, movida pela força das águas do rio Zambeze, acabaram levando a melhor sobre a energia resultante do gás natural. O jogo foi bem disputado, pois os dois intervenientes não queriam perder pontos para não se atrasarem nos seus objectivos. Songo continua a defender o título de campeão nacional que ostenta e o ENH já anda com a calculadora na mão, lutando pela manutenção na prova para a próxima edição 2019. Por causa destes objectivos, o jogo foi mastigado no meio-campo, onde pela banda dos campeões nacionais Cremildo e Kambala, os municiadores do jogo do Songo, foram ofuscados por Balack e Calima, que não deixavam estes dois mambas esboçarem jogadas de ataque, enquanto Eurico, que esta a ressurgir das cinzas, dava muito trabalho aos centrais forasteiros, com o capitão Mucuapel a recorrer ao jogo perigoso para deter este possante ponta-de-lança, que quanto mais se torna velho torna-se letal no ataque.