Manuelito não deixa canário voar

 naquele que, aliás, seria o último ensaio sério antes da recepção canarinhna ao Cape Town City, quarta-feira, às 19.00 horas, no EN Zimpeto, em despique inserido na primeira mão da primeira eliminatória de acesso à fase de grupos da Taça CAF.

O equilíbrio era a nota dominante da partida entre o vencedor da Taça de Moçambique e o visitante Maxaquene, com algum ascendente para esta segunda equipa, que, aliás, foi a primeira a chegar com perigo notável  na grande área contrária, numa lance em que Jair recebe uma assistência dentro da área, descaído para a direita, tendo optado por um remate algo forte e rasteiro, porém ligeiramente ao lado do poste direito da baliza defendida por Guirrugo.

Pensou-se que era o prenúncio de uma tarde provavelmente com muito espectáculo, mas quem assim pensou enganou-se rotundamente, já que a tendência inicial do jogo, por um lado, acabou ficando paulatinamente invertida a partir do minuto 23, altura em que o veterano Campira foi admoestado com uma cartolina vermelha directa, num lance em que estorvou pelas costas o atacante Zequito, à entrada da área, para um livre que o capitão Isac não soube aproveitar, ao tentar rematar com jeito, mas contra a barreira tricolor. Por outro lado, o Costa do Sol não conseguiu tirar proveito do retraimento adversário.

Reginaldo Cumbana