Dificilmente vai ficar no Desportivo de Nacala

Gostou do que viu e ordenou a sua contratação pelo Desportivo de Nacala.

– Trata-se de um jogador jovem e ainda imaturo, mas o que ele apresenta e faz, só ao nível de grandes jogadores. É um jogador que joga, faz jogar e faz golos, tem boa capacidade de elevação para fazer golos e também joga muito bem com os pés. Infelizmente começou tarde o futebol a sério, mas o potencial está lá. Vejo nele um futuro risonho. Neste momento precisa de um acompanhamento, ser acarinhado e ser exigido para ser uma referência daqui a mais uns dois anos por aí, disse Cambaco, entretanto reconhecendo que vai ser difícil o Desportivo de Nacala assegurá-lo por muito tempo.

– Neste momento ele está a sessenta ou setenta por cento e precisa trabalhar com acompanhamento técnico para atingir maior capacidade. Não é de hoje. Nós potenciamos para outros levarem. É assim a vida do treinador. Já tivemos o caso do Tchitcho, que agora está no Costa do Sol, e Lau está na mesma situação em termos de percurso. Há equipas interessadas no Lau. Sei que estão em negociações e para mim é melhor porque vai à busca de melhores condições de trabalho num clube de dimensão maior, almeja o técnico, orgulhoso pela prestação do jogador.

JOGADOR HUMILDE E TRABALHADOR

Zé Augusto, ex-Costa do Sol e internacional pelos Mambas, foi seu treinador no Ferroviário de Pemba. Saíde Uisso limou-o as últimas arestas da sua formação no Desportivo de Pemba, antes de iniciar a etapa seguinte do futebol sénior. Ambos enaltecem as qualidades do atleta. Zé aduz que:

– É um talento que eu vi nascer no Ferroviário de Pemba. É com muita pena que não pude tê-lo por muito tempo, mas enquanto meu jogador resolveu-me muitos jogos. É um jogador muito humilde que gosta de trabalhar, aprender e com muita vontade. Lembro-me que ele saía espatifado do campo. Cheguei a cogitar levar-lhe para outras paragens mas me fugiu da mão e foi a Nacala. Acompanho a carreira dele e não estou nada surpreendido com a sua prestação, embora acho que Cambaco descobriu-lhe tarde para pô-lo a jogar,observa o técnico.

No mesmo diapasão corrobora Saíde Uisso, ex-treinador do Pembinha.

– Podia estar a fazer mais se o treinador tivesse o descoberto mais cedo. Lau é forte, rápido, gosta de aprender e tem tudo que é necessário para ser um grande jogador. É muito novo, humilde, tem larga margem de progressão e não tenho dúvida que neste momento tem lugar na Selecção de Moçambique. É um exemplo para os jovens de Cabo Delgado, porque além do futebol está a estudar.  Estou orgulhoso ao vê-lo a marcar golos, trabalhei com ele e sei do que estou a falar,concluiu.

Por Gilberto Guibunda