Maxaquene sem bênçãos

com os tentos a serem apontados por Marufo, aos 21 minutos (para o Ferroviário de Nacala), e Nélson, aos 31, para os caseiros.

É verdade que a equipa tricolor de tudo fez para se sair vitorioso e levar consigo os três preciosos pontos, mas a falta de clarividência e os sucessivos erros de arbitragem protagonizados por Celestino Gimo terão também influenciado negativamente no desempenho da equipa. Mesmo assim, cabia ao Maxaquene ditar as regras do jogo no seu reduto, o que não chegou a acontecer.

Raimundo Zandamela