Tico salva Barrarijo

O Ferroviário entrava em campo depois de um empate conseguido frente ao Maxaquene nos últimos minutos e precisava de entrar a carregar para iniciar a resolução do destino da partida com o ENH, que, treinado por João Chissano, a menos de dez dias, ainda estava em restruturação, procurando ganhar pontos antes da consolidação da sua equipa.

Os donos da casa entraram bem no jogo, ou seja, mais pressionantes, e com mais ataques, enquanto o ENH tentava tapar as linhas para impedir o avanço dos ataques. Notou-se alguma dificuldade em penetrar na área do representante de Inhambane e Sidique e Mário tiveram de fazer valer o seu poder de remate para incomodar o guarda-redes contrário, mas sem êxito.

Aos 18 minutos a equipa de Lucas Barrarijo, que até ao momento era a melhor em campo, beneficiou de um livre perto da área contrária e Timbe, após tirar as medidas a David, levou a bola a fundo das redes da baliza deste, fazendo delirar o público afecto aos locomotivas e não só pela execução perfeita do lance.

Joca Estêvão/Luís Muianga