Chissano é uma possibilidade para o ENH

Ainda não é conhecido o final da novela sobre o substituto de Boris Pucic no ENH de Vilankulo. Desde da confirmação da saída do croata, vários nomes foram arrolados e diversos currículos foram parar à mesa para a análise, num momento em que a direcção do clube decidiu-se por reduzir o orçamento em relação ao ano anterior, mas mesmo assim, sem descurar de fazer um campeonato digno de realce 

Viriam a ser, efectivamente, os números propostos pelos diversos candidatos que, de alguma forma, balançam para a escolha do próximo treinador do ENH de Vilankulo, clube onde vários nomes foram cogitados, entre eles o João Chissano, hoje feita uma das grandes aposta e até de Artur Saldanha, que em tempos treinou equipas do centro do país. Existentes nomes diversos, até de técnicos estrangeiros na mesa. Dos nacionais, foram propalados os de Carlos Manuel (Caló), Alcides Chambal, do quadro técnico da Federação Moçambicana de Futebol (FMF), afecto à equipa técnica de Abel Xavier.

Apesar de subsistir o problema de valores, o técnico João Chissano está em melhores condições de vir a ser o eleito, dentre todos os candidatos, facto que poderá consumar-se em menos de uma semana. Respondendo a uma pergunta do desafio sobre essa possibilidade, João Chissano foi categórico em afirmar que não há preto no branco.

Não há nada de concreto. Já conversamos, é claro, mas não chegamos, até ao momento, a acordo. Portanto, ainda não certezas se serei o treinador do ENH na próxima temporada, esclareceu João Chissano, ex-treinador do Desportivo e da Selecção Nacional.

Joca Estêvão