Costa prefere apostar em Chiquinho Conde

Não é o facto de ser um treinador (Artur Semedo) que fez a equipa pisar patamares antes nunca vistos que encanta José Costa, também conhecido por Tembinho. É que o novo presidente dos hidroeléctricos tem outros planos para a equipa para a próxima temporada. Daí que a melhor escolha para si é Chiquinho Conde.

O namoro com o ex-treinador do Maxaquene já havia iniciado antes das eleições, até porque, ao que tudo indica, José Costa não nutre simpatia por Artur Semedo, muito menos pelo seu carácter irreverente.

Recorde-se que como forma de encontrar uma saída auspiciosa para não continuar com o treinador impusera como condição para a sua continuidade que este pedisse desculpas a Rafik e Shafee Sidat, visados pelo técnico no final da partida com o Ferroviário da Beira, por achar que seria este um veículo de manutenção da paz e mais: foi solicitado a Artur Semedo que também se desculpasse às gentes da vila do Songo, alegadamente por estes se terem sentido ofendidos quando Semedo, após um resultado considerado negativo (empate caseiro, sem golos, frente ao Ferroviário de Nacala), face aos impropérios lançados pelos adeptos, o técnico, por não ter gostado dessa reacção dos adeptos, ter dito que se não fosse para apoiar a equipa nos jogos realizados no campo da HCB que ficassem em casa. Em nenhuma circunstância Artur Semedo mostrou-se disposto a ceder, ou seja, não aceitou pedir desculpas a ninguém, facto que poderá ter pesado para a sua não continuidade no Songo.

Refira-se, entretanto, que Artur Semedo tem um vínculo com a União Desportiva do Songo até ao final de 2017 na sequência da não denúncia do contrato entre o contratante (UD Songo) e o contratado (Artur Semedo) três meses antes do seu rompimento, o que poderá levar o clube do Songo a indemnizar o técnico vencedor da Taça de Moçambique e vice-campeão nacional.

Joca Estêvão/Arquivo