Tratam-nos como equipa do bairro

Marfim, ao afirmar que a sua equipa é tratada como sendo do bairro, em alusão às condições não criadas para uma melhor preparação com vista a este evento continental.

O técnico proferiu a dura crítica logo depois do jogo da segunda jornada, em que a Selecção Nacional perdeu com a sua congénere de Angola por 91-73, depois de ter saído ao intervalo a vencer por 38-37.

Para o treinador, a sua equipa provou naquele jogo e nos demais da primeira fase, em que venceu a República Centro-Africana por 70-66 e perdeu frente a Cabo Verde por 65-53, que podia fazer mais, mas é vítima de um basquetebol moçambicano feito com empirismo.

Sem apontar os principais destinatários das suas ríspidas declarações, o certo é que Macome fazia alusão ao facto de no país não ter havido competição que conferisse rodagem competitiva aos atletas, assim como à escassez de meios materiais e estágios durante a sua preparação para o Afrobasket.

E ainda que não tenha feito comparação à forma como tem sido feita a preparação da selecção feminina que vai disputar em Maputo o seu Afrobasket, de 20 a 29 de Setembro, Macome piscou olho a esse pormenor.

É que a selecção feminina foi estagiar e jogar por uma semana no Japão, três semanas em Portugal e está agora em Cuba para um período de um mês. O melhor que a sua equipa teve foi uma semana a treinar na Suazilândia e 10 dias a treinar e jogar entre Portugal e Espanha.

- Quando se trabalha no empirismo, nas invenções, e não se tem rigor nas coisas, o resultado é este. Os jogadores já mostraram que têm capacidade e têm condições para que com um basquetebol mais estruturado e organizado é possível fazerem boas coisas. Mas quando se olha para a equipa de masculinos como se fosse uma equipa do bairro ou uma equipa qualquer, o resultado que pode acontecer é este. Não há que fazer nada. É o país que temos– disse Milagre Macome.

Instado a pronunciar-se sobre se depois de nos Jogos Africanos de Maputo-2011 ter conseguido o inédito segundo lugar alcançado pela sua equipa esperava que tivesse mais atenção de quem de direito, o seleccionador nacional remeteu para o fim da competição uma análise mais cuidada.

- Essa é uma análise que poderemos fazer com mais cuidado no final da competição, mas não quero falar bastante nesse assunto porque ainda se pode pensar que estou a arranjar desculpas para aquilo que poderá ser a nossa prestação aqui. Não quero que se pense que estou a arranjar desculpas porque se tivéssemos visto que não havia condições mal teríamos vindo para aqui. São as condições possíveis. Mais pormenores daremos no final do Afrobasket– prometeu o técnico.

 

Todos os jogos e resultados

 

GRUPO A

 

1.ª jornada

Costa do Marfim – Argélia (64-47)

Egipto – Senegal (70-72)

 

2.ª jornada

Argélia – Egipto (67-63)

Senegal – Costa do Marfim (46-74)

 

3.ª jornada

Senegal – Argélia (62-57)

Costa do Marfim – Egipto (69-62)

 

Classificação final

                                               J          V         D         CESTOS         P

1.º COSTA DO MARFIM         3          3         0         207-155         6

2.º Senegal                            3          2         1         180-201         5

3.º Argélia                              3          1         2         176-184         4

4.º Egipto                               3          0         3         195-208         3

 

GRUPO B

 

1.ª jornada

Ruanda – Burquina Faso (80-67)

Tunísia – Marrocos (56-54)

 

2.ª jornada

Marrocos – Ruanda (83-57)

Burquina Faso – Tunísia (45-100)

 

3.ª jornada

Burquina Faso – Marrocos (63-84)

Tunísia – Ruanda (74-74 e 83-73) *Após prolongamento*

 

Classificação final

                                   J          V         D         CESTOS         P

1.º TUNÍSIA               3          3         0         239-172         6

2.º Marrocos              3          2         1         225-176         5

3.º Ruanda                3          1         2         218-231         4

4.º Burquina Faso      3          0         3        169-264          3

 

GRUPO D

 

1.ª jornada

Nigéria – Mali (74-59)

Camarões – Rep. Congo (74-43)

 

2.ª jornada

Rep. Congo – Nigéria (73-93)

Mali – Camarões (35-89)

 

3.ª jornada

Rep. Congo – Mali (87-77)

Nigéria – Camarões (91-84)

 

                                   J          V         D         CESTOS         P

1.º Nigéria                  3          3         0         258-216         6

2.º Camarões             3          2         1         247-169         5

3.º Rep. Congo          3          1         2         205-244         4

4.º Mali                       3          0         3         171-250         3

 

Oitavos-de-final

 

Hoje

14h30: Marrocos – Argélia

17h00: Camarões - Moçambique

19h30: Costa do Marfim – Burquina Faso

22h00: Angola – Mali

 

Amanhã

14h30: Tunísia – Egipto

17h00: Cabo Verde – Congo

19h30: Senegal – Ruanda

22h00:  Nigéria- República Centro-Africana

 

Texto de Narciso Nhacila,

nosso enviado especial a Abidjan

Revisto: Mário