Zâmbia e África do Sul eliminados

A Zâmbia - que se apresentou na sua máxima força, até porque alguns dos seus jogadores actuam aqui na África do Sul, até jogou melhor no rescaldo de todo o jogo, sobretudo na primeira parte, não tendo sido sucedido apenas porque o esquema defensivo da Namíbia se revelou simplesmente impecável.

Após terminar o tempo regulamentar com o zero-a-zero a prevalecer, o árbitro ordenou que o desempate fosse pela marcação de pontapés da marca de grande penalidade, capítulo em que os Brave Warriors souberam esquivar as Chipolopolo (balas), terminando a sessão com cinco golos convertidos, contra quatro do seu favorito oponente.

A Namíbia passa, assim, para as meias-finais, ficando por definir o seu opositor em função dos jogos dos quartos-de-final, agendados para hoje.

DE COMO A ÁFRICA DO SUL

PERDEU NO SEU REDUTO…

No segundo jogo da noite, a anfitriã África do Sul, que como era de esperar arrastou muito público para o campo, também viu-se e desejou-se para fazer frente à brava turma do Botswana, apesar do aparente equilíbrio verificado em todo o jogo.

Tal como aconteceu no primeiro desafio do dia, sul-africanos e twanas terminaram os noventa minutos sem abertura de contagem, mas diga-se em abono da verdade que se o árbitro malgaxe tivesse tido um pouco mais de coragem a África do Sul poderia ter sofrido um penalty nos últimos minutos do encontro. Mas não.

Já na lotaria das grandes penalidades, os tswanas levaram a melhor sobre os pupilos de Shakes Matshaba, já que depois de um empate na primeira série houve necessidade de uma segunda, que possibilitou que o Botswana ganhasse por 7-6.

Este era um jogo aguardado com bastante expectativa, na medida em que daqui sairia o provável adversário de Moçambique, caso vença o Malawi no jogo de hoje à noite, a partir das 19.30 horas, no Royal Bafokeng Stadium.