Madagáscar vence (2-1) Lesotho no seu regresso à Taça Cosafa

Reginaldo Cumbana

Costuma dizer-se que recuar não é fugir, mas sim uma forma de recuperar forças para enfrentar os desafios com mais fôlego, o que parece ter acontecido com Madagáscar, que andou arredado da competição desde 2008 e voltou em grande estilo, batendo hoje o Lesotho por 2-1.

O jogo, dirimido no Royal Bafokeng Sports Palace, até começou menos bem para os malgaxes, que sofreram um golo de Tale, aos 26 minutos, sendo obrigados a correr atrás do prejuízo, algo que fizeram com sabedoria, fruto de um futebol sustentado na técnica que caracteriza os seus jogadores, que empataram por Vombola ainda antes do intervalo, aos 38 minutos.

Na segunda metade, a balança foi progressivamente pendendo para o lado dos ilhéus, que pareciam mais munidos de argumentos para se sobreporem aos suthos, explorando as deficiências de marcação e criando condições para o jogo gravitar durante largo tempo no meio-campo do Lesotho.

A pressão foi tão intensa que a cinco minutos do fim do jogo o jogador Rabehasinmboladeu o prémio merecido aos malgaxes, marcando o golo da vitória, ao qual o Lesotho mostrou-se apático demais para conseguir anulá-lo.

O árbitroRuzive Ruzive, do Zimbabwe, auxiliado por Gilbert Lista, das Seychelles, e Romeo Kasengele, da Zâmbia, desenvolveram um bom trabalho.

Depois do fim da partida Tanzania-Suazilândia ficaremos a saber como ficará o ordenamento das equipas da tabela classificativa do Grupo B.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Opinão

Publicidade